turboélice
Foto - ATR/Divulgação

A ATR recebeu aprovação da EASA para estender os intervalos entre as verificações de manutenção do Tipo C de 5000 para 8000 horas de voo, para todas as suas séries de aeronaves (42-600 e 72-600)

Esse aumento de 60% no tempo entre as “revisões”, permite uma redução significativa de custos de manutenção de aeronaves para as companhias que operam com aviões ATR. A EASA e a ATR ressaltam que o aumento do tempo entre as revisões não diminui a segurança das operações.

Em fevereiro de 2019, a ATR já havia recebido a certificação da EASA para estender os intervalos entre as verificações de manutenção Tipo A de 500 para 750 horas, para todas as suas séries de aeronaves.

Mais recentemente, em novembro de 2021, a fabricante estabeleceu um novo padrão em economia operacional para a aviação regional, com a introdução de sua nova série de motores PW127XT para as aeronaves ATR 72 e 42.

David Brigante, vice-presidente sênior de suporte e serviços ao cliente da ATR, comentou: “Todas as companhias aéreas desejam que suas aeronaves voem o máximo possível e, como parceiros em todo o caminho, estamos continuamente nos empenhando para aumentar o valor de nossos produtos. Ao estender os intervalos entre essas verificações de manutenção pesada, oferecemos aos nossos operadores o potencial de gerar mais receitas, pois eles verão suas aeronaves voando até mais três dias por ano, considerando as melhorias nos cheques A e C agora em vigor. Isso também reflete os procedimentos de manutenção robustos que temos em vigor e nosso compromisso em colocar as necessidades de nossos clientes no centro de tudo o que fazemos.”

Os clientes da ATR se beneficiarão de um tempo estendido de 40% nas asas, elevando a revisão do motor para 20.000 horas, resultando em menos eventos ao longo do ciclo de vida da aeronave. Isso permitirá uma redução de 20% nos custos de manutenção do motor.

DEIXE UMA RESPOSTA