F/A-18 Hornet AXALP 2012
Caças F/A-18C Hornet disparando flares durante um sobrevoo no Axalp 2012. Foto: Peng Chen via Wikimidia (CC BY-SA 2.0).

Você já imaginou um show aéreo em que você deve escalar uma montanha de milhares de metros por cerca de três horas, apenas para ver os aviões? E para melhorar, esses mesmos aviões ainda empregam armamento na sua frente? 

Parece impossível, mas esse show aéreo existe na Suíça. Ele se chama Axalp Fliegerschiessen, mas é mais conhecido apenas pelo primeiro nome. Mais até do que um “portões abertos”, o Axalp também é um exercício de tiro terrestre para os caças F/A-18 Hornet e F-5E/F Tiger II da Schweizer Luftwaffe, a Força Aérea Suíça. 

Origens na Segunda Guerra Mundial

Nos últimos anos, o Axalp tem ficado cada vez mais famoso. O que antes tinha a participação de algumas centenas de moradores da vila homônima e proximidades, hoje recebe milhares no pico da montanha Axalphorn.

Mas apesar da “fama recente”, o exercício tem suas origens na Segunda Guerra Mundial. Durante o conflito que definiu os rumos dos dias atuais, a Suíça foi capaz de manter sua neutralidade. 

Mas, para isso, foi necessário que suas forças militares treinassem. Mesmo com o status neutro, uma invasão poderia ocorrer. Ficou claro que os aviadores não estavam aptos para o combate entre as montanha.

Bf 109E3 Suíça Axalp
Messerschmitt Bf 109E-3, empregado pela Schweizer Luftwaffe até 1948. Foto: Sandstein via Wikimedia.

Então, em outubro de 1942, foi criado o estande de tiro de Axalp, com um posto de comando sendo instalado no pico da montanha a 2244 metros acima do nível do mar. Os suíços colocaram alvos na montanha para que os pilotos treinassem o ataque com seus caças. 

Desde então, o estande de Axalp abre uma vez ao ano para o treinamento de emprego de armamento. O exercício foi aberto ao público, para que a população pudesse ver e ouvir  trabalho da Luftwaffe suíça e seus militares. 

Uma subida que compensa

Subir mais de 2200 metros não é tarefa fácil, nem rápida. A escalada dura cerca de três horas para que tem boas condições físicas. Mas, caso você seja um VIP ou membro da Força Aérea, a subida a pé é substituída pelo voo de helicóptero até o posto de controle. 

O vídeo abaixo mostra um pouco da subida. Apesar de ser cansativo, a vista por si só já compensa. O show que logo se aproxima faz tudo valer a pena. 

Brrrrt

Realizado anualmente no mês de outubro, o Axalp ocorre em três dias: no primeiro, o treinamento dos pilotos. Nos outros dois, a apresentação para o público. 

A partir das 08h30, as aeronaves já estão sobrevoando a montanha, decolando das bases de Meiringen, Emmen e Payerne. Logo após as passagens com disparos de flares, começa a cereja do bolo: os tiros de canhão!

Em mergulho, os caças disparam seus canhões internos. Enquanto o F/A-18 emprega o M61 Vulcan, de 20mm e seis canos rotativos, os clássicos F-5 usam dois M39 de 20mm, mas de cano único. 

O som dos disparos se mistura com o ruído dos motores. Passagem atrás de passagem, os caças acertam os alvos, sobem e somem atrás das montanhas. E voltam novamente para continuar o show. 

Mais além

Além do emprego de armamento dos caças, o Axalp conta com outras apresentações. A esquadrilha Patrouille Suisse, equipe de demonstração da Força Aérea, se apresenta com seus sete F-5E. 

Demonstrações táticas com helicópteros Super Puma e o próprio F/A-18 são “de lei” para o Axalp. O turboélice de treinamento Pilatus PC-21 também se apresenta.

A edição deste ano marcou o retorno do show, após um hiato de dois anos. O evento de 2019 foi cancelado por conta das condições meteorológicas. Já o Axalp de 2020 foi postergado para 2021 por conta da pandemia de Covid 19.

Apesar do espaço aberto, o evento ainda foi limitado para apenas 4000 pessoas. Contudo, os F-5 não estiveram presentes na edição deste ano. Também houve a primeira apresentação dos “Parascouts”, equipe de paraquedistas de resgate do Exército, lançados a partir de um PC-6 Porter. As tropas especiais do KSK (Kommando Spezialkräfte) também se apresentam.

Outra aeronave que chamou atenção neste ano foi o Hawker Hunter T Mk.68, com uma pintura especial de tigre. Durante 30 anos, a Força Aérea Suíça operou um total de 160 caças a jato Hunter, de origem britânica. E eles também treinaram seus canhões Aden de 30mm nos alvos de Axalphorn. Este foi o último show do Hunter tigre, que agora será aposentado e expostos no Fliegermuseum Altenrhein. 

Como era

No passado, uma das aeronaves que mais esteve presente no Axalp foi o Dassault Mirage III. O clássico delta francês Mach 2 esteve em serviço nos Alpes entre 1962 e 2003. Seus potentes canhões DEFA de 30mm faziam barulho pelas montanhas, junto do rugir dos SNECMA ATAR 9C. 

Os Hunters e de Havilland Venom também eram presença garantida no Axalp. 

Além dos caças suíços, os Mirage da própria França também já estiveram por lá. O Saab JAS-39C Gripen também esteve no Axalp, disparando seu Mauser BK-27 de 27mm.

No final de junho de 2021, o Governo da Suíça anunciou o F-35A Lightning II como seu novo caça. Berna planeja adquirir 36 caças no negócio avaliado em 6 bilhões de francos suíços. Dessa forma, o F-35 deve se tornar mais uma atração do Axalp Fliegerschiessen nos próximos anos. 

Fontes: Best Shot Aircraft, Boschh, The Aviation Geek Club

 

DEIXE UMA RESPOSTA