Azul anuncia que chegou a um acordo com empresas de leasing de aeronaves

Foto - Azul/Divulgação

A Azul anunciou há pouco que negociou um novo perfil de pagamento com seus arrendadores de aeronaves resultando em uma economia de capital de giro de R$3,2 bilhões do início da crise até o final de 2021. Os acordos representam mais de 98% do passivo de arrendamento da Companhia, e as negociações com os demais arrendadores continuam evoluindo.

Conforme esses acordos, o cronograma de pagamento será baseado em uma estimativa conservadora de retomada da demanda. Como resultado, a Companhia estima pagar R$566 milhões em aluguel de aeronaves entre abril e dezembro de 2020, uma redução de 77% comparado com os contratos originais. Os aluguéis mensais menores serão compensadas por valores ligeiramente superiores a partir de 2023, ou pela extensão de certos contratos a taxas de mercado.

Adicionalmente, como resultado das negociações bem-sucedidas com seus parceiros, o passivo de arrendamento da empresa deverá diminuir R$3,4 bilhões entre o final de março e dezembro, totalizando R$12,5 bilhões no final do ano, um reflexo do valor presente dos contratos renegociados de acordo com o IFRS 16. 

“Arrendadores de aeronaves representam em torno de 80% de nossa dívida total, e portanto estes acordos são um passo importante para garantir que sairemos desta crise mais fortes e comprometidos com essas parcerias de longo prazo. Estamos orgulhos do apoio que temos recebido de nossos parceiros que, além de arrendadores, incluem tambem nossos tripulantes, bancos e fornecedores”, disse Alex Malfitani, CFO da Azul. 

DEIXE UMA RESPOSTA