• Instagram
  • Feed
  • Telegram
  • Youtube

Boeing 737 MAX da Flair tem problemas de pressurização durante voo para Toronto

Flair Boeing 737 MAX
Foto: Flair Airlines

Um Boeing 737 MAX 8 da companhia aérea Flair precisou pousar em um aeroporto alternativo após ter problemas de pressurização na cabine durante o voo para Toronto na última terça-feira (07).

O voo F82615 da Flair era operado pelo Boeing 737 MAX de matrícula C-FFEL e havia decolado do Aeroporto Internacional de Cancun no México. A aeronave estava subindo para o nível de voo de 37 mil pés, pouco mais de 25 minutos após decolar, a cabine teve problema de pressurização.

Imediatamente a tripulação declarou emergência e as máscaras de oxigênio caíram do compartimento superior. Os pilotos iniciaram uma rápida descida para 10 mil pés, altitude segura para respiração sem a utilização de máscaras de oxigênio, pois o sistema tem apenas 15 minutos de oxigênio disponível para os passageiros, por essa razão uma descida tão rápida quando ocorre este tipo de emergência.

O Boeing 737 MAX da Flair então alternou o Aeroporto Internacional de Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale-Hollywood para atendimento.

Em comunicado ao Portal Aerotime, a Flair disse:

“A segurança e o bem-estar de nossos passageiros e tripulantes são nossa maior prioridade. O F82615 foi desviado para o Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale-Hollywood, quando a aeronave sofreu uma despressurização. A tripulação respondeu habilmente e o voo pousou sem mais incidentes. Os passageiros receberam acomodação e alimentação e continuaram em outros voos da Flair para retornar a Toronto”.

O Boeing 737 MAX da Flair ainda permanece no Aeroporto de Fort Lauderdale-Hollywood três dias após o incidente. 

 

 

Com informações do Aerotime

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.