Boeing 737 MAX está nos últimos dias de trabalho para conseguir a nova certificação

Boeing 737 MAX

A FAA (Federal Aviation Administration) declarou recentemente que está nos estágios finais para aprovar a volta de voos comerciais com o Boeing 737 MAX.

A agência prevê que todo o processo será resolvido nos próximos dias, com a certificação sendo emitida até dezembro deste ano. A própria GOL Linhas Aéreas já estava prevendo um retorno do 737 MAX até dezembro.

A avaliação do 737 MAX está sendo realizada em conjunto com quatro agências reguladoras da aviação, incluindo a ANAC do Brasil. O objetivo é reforçar a segurança da avaliação, e possibilitar um retorno imediato do 737 MAX em diversos países.

“Esperamos que esse processo seja concluído nos próximos dias, uma vez que a agência esteja satisfeita com o fato de a Boeing ter resolvido as questões de segurança”, disse o administrador Steve Dickson disse à FOX Business em um comunicado. “A FAA continua a se envolver com as autoridades da aviação em todo o mundo enquanto elas se preparam para validar nossa decisão de certificação.”

Embora Dickson tenha se recusado a fornecer uma data específica para uma possível aprovação, a Reuters informou que a agência poderia aprovar a volta do 737 MAX em 18 de novembro.

“Mesmo que estejamos próximos da linha de chegada, irei suspender a ordem de aterramento somente depois que nossos especialistas em segurança estiverem satisfeitos que a aeronave atende aos padrões de certificação”, acrescentou Dickson.

O Boeing 737 MAX está impedido de voar desde março de 2019, quando um 2º acidente revelou mais indícios de problemas na construção do software do avião. A Boeing estava trabalhando em uma correção desde o acidente com uma aeronave da Lion Air, em outubro de 2018, e se encaminha para certificar o novo software no final deste ano de 2020.


Como resultado do problema, a Boeing enfrenta uma crise sem precedentes, com várias entregas atrasadas, cancelamento de encomendas e pagamento de indenizações aos clientes.

Ainda há cerca de 450 aviões estocados, que deverão ser entregues ao longo dos últimos dias de 2020 e de todo o ano de 2021.

 

DEIXE UMA RESPOSTA