Boeing 737 MAX
Foto - Paul Gordon/Boeing

A Federal Aviation Administration (FAA) emitiu nesta última quinta-feira (05/08) uma nova diretriz de segurança para aviões Boeing 737 NG e MAX.

O propósito da FAA é corrigir um problema de capacidade reduzida da aeronave para suprimir um incêndio a bordo.

A FAA disse que os aviões podem ter uma falha no controle de fluxo eletrônico das packs do ar condicionado, que liberam ar do porão para outras áreas do avião. Desta forma, uma pack pode compartilhar o ar dos porões para a cabine de passageiros, sem controle dos pilotos.

A diretriz proíbe os operadores de transportar carga no porão se os aviões estiverem operando com essa condição, a menos que possam verificar se os itens são não inflamáveis ​​ou não funcionam como combustível em caso de um problema a bordo.

A FAA disse que a diretriz de aeronavegabilidade cobre todos os aviões Boeing 737 MAX 8, 737 MAX 9 e 737 MAX 200, além de alguns aviões das séries 737-800 e 737-900ER.

São 663 afetados pelo problema somente nos Estados Unidos, e 2204 em todo o mundo, de acordo com uma avaliação da FAA.

Em nota ao Portal AEROFLAP a Boeing disse:

“A Boeing apoia a ação da FAA. A decisão tomada pela agência reguladora diz respeito a uma potencial situação sobre a qual notificamos a FAA em março de 2021, embora não tenhamos visto esta situação ocorrer em qualquer aeronave em operação. Esta abordagem proativa para identificar e resolver possíveis problemas de segurança ajudou no estabelecimento da aviação comercial como a forma de transporte mais segura do mundo.”

Via: Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA