Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Foto: Boeing

Diante da retomada dos voos internacionais por parte das companhias, as fabricantes também estão retomando os seus níveis de produção próximos aos níveis pré-pandemia para poder lidar com a nova realidade dos operadores aéreos. 

Sabendo disso, o CEO da Leonardo Alessandro Profumo, relatou à Reuters durante o Dubai Expo que a Boeing deverá atualizar o novo plano de produção para o Boeing 787 Dreamliner. Algo que a Boeing oficialmente não tem confirmado, mas está mantendo cautela ao realizar profundas avaliações do mercado global de aviação. 

Segundo o executivo da Leonardo, a Boeing “está bastante otimista e deverá sair como um novo plano em breve”. Com isso, a Leonardo estima que a Boeing deverá produzir o 787 a uma taxa de 10 aeronaves por mês até o final de 2025. Antes da pandemia, essa taxa era de 14 aeronaves mensais. 

Curiosamente, a fabricante italiana Leonardo é responsável por fabricar cerca de 14% da estrutura do Boeing 787, sendo: o estabilizador horizontal em sua fábrica de Foggia, além das seções centrais de fuselagem em sua planta Grottaglie, peças que são posteriormente enviadas para a planta da Boeing de North Charleston, na Carolina do Sul.

Recentemente, a Boeing enfrentou alguns problemas com seu moderno jato 787, por isso não deverá entregar os pedidos para a aeronave pelo menos antes do mês de outubro.

No mês de julho, a FAA realizou uma inspeção obrigatória em algumas aeronaves 787 e encontrou um problema no nariz do avião. Mesmo que o problema não afete a segurança operacional do modelo, contudo, a FAA iniciou uma profunda investigação no processo de fabricação da aeronave.

DEIXE UMA RESPOSTA