Boeing encerra primeiro dia de testes para certificar novamente o 737 MAX

Foto - Paul Gordon/Boeing

A Boeing concluiu hoje (29/06), com sucesso, dois voos de testes que inauguram o novo processo de certificação do 737 MAX, agora com correções no sistema MCAS.

Os voos ocorreram entre o Boeing Field, perto de Seattle, e Moses Lake, no leste do Estado de Washington. No meio da rota os pilotos do 737 MAX fizeram uma série de manobras, incluindo a ativação proposital do MCAS, para analisar a reação da aeronave.

Já em Moses Lake, um local geralmente usado para alguns testes em aeronaves, o 737 MAX realizou testes em baixa altitude e durante o procedimento de decolagem.

Todos os procedimentos foram realizados com o Boeing 737 MAX 7, a menor versão do 737 MAX, porém com o mesmo sistema de voo de toda a família de aeronaves. Você pode acompanhar todos os voos realizados com a aeronave de matrícula N7201S Clicando Aqui.

Ao todo foram quase quatro horas de voo nesta segunda-feira, com este 737 MAX 7, desde a partida do Boeing Field (BFI) até o retorno ao mesmo aeroporto.

A FAA disse que os voos avaliarão as mudanças propostas pela Boeing no sistema de controle de voo automatizado do avião.

Depois da FAA certificar o 737 MAX, a Boeing ainda precisará enfrentar outras agências regulamentadoras. Estas podem dificultar ainda mais o retorno do 737 MAX em outros países, pelos rígidos critérios aplicados e pelos outros problemas do MAX que precisar de solução.


A FAA disse que ainda não tomou uma decisão sobre o retorno ao serviço e ainda tem várias etapas adicionais antes que o avião possa retornar aos voos comerciais. A perspectiva da FAA, no entanto, é certificar o 737 MAX antes de setembro deste ano.

A expectativa, no entanto, é que o 737 MAX esteja disponível para as companhias aéreas até o final de 2020. O retorno da aeronave da Boeing pode ajudar algumas empresas na recuperação da oferta, no período pós-crise.

 

DEIXE UMA RESPOSTA