Foto - OGMA/Divulgação

A joint-venture entre a Boeing e a Embraer também promete boas novidades para Portugal, que deve ganhar um reforço nas operações em Évora, local onde a Embraer produz componentes para as suas aeronaves, principalmente compósitos.

A informação foi reforçada em um encontro entre o ministro da Defesa de Portugal, João Gomes Cravinho, e o vice-presidente da Boeing, Marc Allen, durante o Paris Airshow 2019.

“Isto significará um aumento da faturação, maior volume de investimento e o reforço das contratações de pessoal, cujas perspetivas de curto prazo implicarão a contratação de mais 100 engenheiros. Mas no horizonte de quatro anos a Embraer-Boeing deverá contratar mais 500 engenheiros”, disse o ministro ao periódico português Jornal Económico.

A unidade da Embraer em Évora, e também nas unidades em colaboração com a portuguesa OMGA, a fabricante produz componentes para o KC-390 e a linha E-Jet E2, neste último com foco em materiais compostos (compósitos).

Portanto, Portugal é um importante centro de desenvolvimento industrial para fabricantes aeronáuticas, como a Airbus e a Embraer.