Boeing 737 MAX FAA
Foto: Boeing/Divulgação

A Boeing acertou com a FAA um pagamento de US$ 17 milhões sobre uma multa envolvendo aviões 737 MAX, e mais um problema detectado pela agência.

De acordo com a FAA no acordo, a Boeing instalou sensores não aprovados pela a agência em 759 aviões 737 MAX e NG. Este componente é um conjunto de câmeras no nariz da aeronave, que fazem parte do sistema Rockwell Collins Head-up Guidance Systems.

A instalação deste componente fora do projeto original da aeronave foi realizado nos aviões entre junho de 2015 e abril de 2019.

O acordo também cobre um outro erro da Boeing, envolvendo os trilhos de slats das aeronaves que foram montados nas aeronaves, e não correspondem ao controle de qualidade previsto.

A Boeing deve fortalecer os procedimentos para garantir que não instale quaisquer peças da aeronave que não estejam em conformidade com o projeto aprovado, disse a FAA. Uma série de ações corretivas da linha de montagem e dos projetos devem ser realizadas pela Boeing no próximos meses, a FAA vai supervisionar de perto as mudanças.

Se a Boeing não concluir as ações corretivas em tempo hábil, a FAA pode cobrar até US $ 10,1 milhões em penalidades adicionais. A agência também só permitirá um aumento na produção do 737 MAX após as correções dos problemas.