F-35 Typhoon B-52 EUA Itália
Caças F-35 e Eurofighter Typhoon da Itália escoltando o B-52 norte-americano. Foto: OTAN/Divulgação.

Dois bombardeiros B-52H Stratofortress da Força Aérea dos EUA foram escoltados por caças F-35 e Typhoon da Itália e F-16 da Grécia durante uma missão na última segunda-feira (07). 

As aeronaves decolaram da base aérea de RAF Faiford, no Reino Unido, e sobrevoaram a Europa central. Lá, foram realizados exercícios de integração ar-terra com JTACs (Joint Terminal Attack Controllers) da Romênia. Em fevereiro, os mesmos B-52 desdobrados em Fairford realizaram uma missão similar na suécia, onde foram escoltados por caças Gripen. 

Um F-16 grego escoltando o B-52. Foto: OTAN/Divulgação.

Os JTAC são militares especializados em controle e coordenação de aviões em missões de apoio aéreo aproximado. Em comunicação com os aviadores, os JTAC passam coordenadas e direcionam as aeronaves para atacar uma tropa inimiga com precisão, evitando o fratricídio (fogo amigo). Segundo o Comando Aéreo Aliado da OTAN, essa integração forneceu treinamento vital para o Suporte Aéreo Próximo Aliado

Antes de voltarem ao Reino Unido, os bombardeiros estratégicos norte-americanos praticaram operações bilaterais com caças italianos e gregos no Mar Mediterrâneo. A Força Aérea Italiana enviou dois caças F-35A Lightning II dois e mais dois Eurofighter F-2000 Typhoon. A Força Aérea Helênica participou com um par de caças F-16C Fighting Falcon.

As aeronaves realizaram a prática de procedimentos e comunicações de escolta entre caças e bombardeiros.  A integração entre caças de quinta geração e bombardeiros legado garante a interoperabilidade dos Aliados, contribuindo diretamente para fornecer uma dissuasão e defesa robustas da Aliança.

A OTAN é uma Aliança política e militar altamente capaz que fornece coletivamente as forças militares necessárias para garantir a segurança de nossas nações por meio de uma combinação eficaz de operações, missões, tarefas e atividades dentro do território da Aliança.

OTAN/Divulgação.

Dada a velocidade, flexibilidade e alcance inerentes dos bombardeiros estratégicos, as missões da Força-Tarefa de Bombardeiros destacam as capacidades aliadas e o compromisso com uma Aliança coesa.