Bombardeiros Estados Unidos
Bombardeiros da USAF. De cima para baixo: B-1B Lancer, B-52H e B-2 Spirit- Foto: USAF

A Força Aérea dos Estados Unidos está fazendo um grande exercício operacional em conjunto com a 509ª Ala de Bombas. Neste a USAF está reunindo na Base Aérea de Whiteman unidades de todos os seus bombardeiros em atividade, dos modelos B-52, B-1 e B-2, além de caças Stealth F-35 e F-22.

Com quatro dias de duração, o exercício Agile Tiger 2022 trabalha também a interoperabilidade das diferentes divisões da Força Aérea dos EUA, incluindo a entrega de suprimentos.

Foto: U.S. Air Force photo by Senior Airman Jerreht Harris

Seis aeronaves F-35A Lightning II da Base Aérea de Hill (Utah), dois T-38 Talon da Base Aérea de Langley (Virgínia) e um KC-10 Extender da Base Aérea Travis (Califórnia), estão na Base Aérea Whiteman, onde realizarão operações para a duração do exercício.

As aeronaves B-2 Spirit e A-10 Warthog da Base Aérea de Whiteman, juntamente com seus helicópteros Army UH-60 Black Hawk, também participarão. Outras unidades voadoras e de apoio sairão de McConnell, Dyess, Ellsworth e Barksdale AFB.

A-10C Thunderbolt II e um F-22 Raptor- Foto Ten. Sam Eckholm

“Contamos com nossos aviadores para se adaptar a ambientes cada vez mais restritos, colaborar de forma multifuncional e inovar em um ambiente de combate altamente dinâmico”, disse o coronel Daniel Diehl, 509º comandante da ala de bombas. “Como principal ala de bombas da América, nossos aviadores são confiáveis ​​para executar o poder aéreo convencional e nuclear, e estamos constantemente procurando maneiras de melhorar os processos e garantir que estamos cumprindo os objetivos da Estratégia de Defesa Nacional. Este exercício foi projetado para garantir que fiquemos prontos para o combate, todos os dias.”

A integração dos bombardeiros B-2, B-1 e B-52 com caças de quinta geração e outras unidades de apoio permite que os Estados Unidos mantenham uma dissuasão estratégica confiável em um ambiente em rápida mudança.

Essa colaboração aumenta a letalidade de combatentes conjuntos ao mesmo tempo em que promove resiliência, inovação, competitividade e melhoria de processos – todos os talentos necessários para enfrentar os complexos desafios de hoje.