J-7 China Acidente Caça
Chengdu J-7G da Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China. Foto via Military Watch Magazine.

Uma pessoa morreu e outras duas ficaram feridas na queda de um caça Chengdu J-7 da Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF) da China na manhã de quinta-feira (09). A aeronave de combate caiu em uma área residencial na cidade de Xiangyang, localizada na província central de Hubei. 

O piloto, que ainda não foi identificado, ejetou e foi levado ao hospital junto de outros civis que se feriram no acidente. De acordo com a emissora estatal CCTV, as causas do acidente já estão sendo apuradas. 

Imagens do acidente mostram os destroços do caça em chamas, além da destruição causada pela queda do avião e o trabalho dos bombeiros para conter as chamas. 

Versão chinesa de caça soviético

O Chengdu J-7 Airguard (chamado de Fishcan pela OTAN) é um dos caças mais mais antigos e presentes nas frotas da PLAAF e da Aviação Naval da China. O modelo, na verdade, é uma cópia licenciada do Mikoyan-Gurevich MiG-21F-13 Fishbed, da antiga União Soviética.

A produção local do caça foi obtida em 1962 através de um acordo de transferência de tecnologia entre Moscou e Pequim. Ao longo dos anos o J-7 recebeu atualizações aerodinâmicas e de aviônicos. Mesmo sendo um desenho originalmente dos anos 1950 (época em que o MiG foi projetado), a China mantém 418 destes caças em operação.

Ao todo, 13 nações operam o J-7, incluindo Paquistão, Egito, Irã e Myanmar. Na década de 1980, a Força Aérea Brasileira chegou a avaliar o F-7M Airguard, uma versão atualizada para o mercado de exportação. O J-7 também é um dos 10 caças mais utilizados no mundo.