Caças F-15 Eagle.

Dentro da aviação militar, os aviões de caça são, definitivamente, os modelos mais famosos e que mais chamam atenção, seja por seu design, sua performance, aparição na mídia ou até a sua própria aplicação em combate. 

São inúmeros modelos, com várias funções e diferentes capacidades, alguns maiores, outros mais baratos, enfim, diversas variáveis. Mas você já parou para prensar quais são os caças mais usados pelas forças aéreas ao redor do planeta? Vamos conhecê-los! 

10º – Sukhoi Su-24 Fencer 

Um Su-24M2 Fencer-D da Força Aérea Russa. Foto: Alexander Mishin via Wikimedia (CC BY-SA 3.0)

A “primeira” aeronave da lista não é exatamente um caça, mas sim um avião de ataque ao solo e interdição. Mesmo assim, faz parte da Aviação de Caça como um todo. O Sukhoi Su-24 Fencer começou a ser desenvolvido na União Soviética ainda na década de 1960 e entrou em serviço em 1974. 

Desenvolvido para voar baixo e em altas velocidades, evitando a detecção de radares inimigos a 1315Km/h e carregando 8 toneladas de mísseis, foguetes ou bombas, inclusive nucleares. Além das missões de ataque, essa aeronave também é capaz de realizar voos de reconhecimento dependendo da variante.

Cerca de 389 caças Su-24 estão em serviço, com a aeronave sendo operada na Rússia, Ucrânia, Sudão, Líbia, Síria, Argélia, Irã, Cazaquistão, e Azerbaijão Em 2016, o modelo chegou à várias manchetes depois que dois Su-24 da Rússia fizeram rasantes no destroyer USS Donald Cook da Marinha dos EUA, supostamente “desligando” os sistemas de defesa da embarcação, algo que nunca foi realmente confirmado. 

9º – Northrop F-5 Freedom Fighter e Tiger II

F-5EM Tiger II do Esquadrão Pampa decolando. Foto: Gabriel Centeno.

O F-5 é o produto de maior sucesso da fabricante americana Northrop (hoje Northrop Grumman). Seu desenvolvimento começou ainda na década de 50 com o projeto N156. Seu primeiro sucesso, todavia, foi na forma de um avião de treinamento, o T-38 Talon, ainda em serviço também.

Mais tarde o avião passou a ser comercializado para aliados dos EUA. As duas versões do caça leve, F-5A/B Freedom Fighter e F-5E/F Tiger II foram comercializadas para 34 países e cerca de 2246 unidades das duas versões foram produzidas. 

Por ser um caça leve, o F-5 tem diversas limitações como autonomia e capacidade carga, mas seu baixo custo operacional, manutenção simples e programas de modernização são fatores que colocam o Tigre no 9º lugar da lista, com aproximadamente 403 aeronaves em serviço. 

Com sete pontos para instalação de armas e dois canhões de 20mm, o F-5E Tiger II pode carregar 3.2 toneladas de bombas, foguetes e mísseis diversos. O F-5 está em serviço em diversos países como Estados Unidos, Suíça, Turquia, Irã, Taiwan, Coreia do Sul, México, Espanha, Botswana e outros. 

Aqui no Brasil ele já é um velho conhecido. A Força Aérea Brasileira modernizou 47 aviões com sistemas de Quarta Geração, mas já adquiriu 36 caças F-39E/F Gripen para substituir o velho combatente. Os F-5EM/FM, como são designados pela FAB, são operados por unidades no Rio Grande do Sul, Amazonas, Rio de Janeiro e Goiás. 

8º – Chengdu J-7

Chengdu J-7G da Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China. Foto via Military Watch Magazine.

Com 418 unidades em serviço na Força Aérea e na Marinha da China, o 8º lugar é uma cópia chinesa do Mikoyan-Gurevich MiG-21 Fishbed. O Chengdu J-7 (designado F-7 nas versões de exportação) nasceu nos 1960 e vem sendo atualizado desde então. 

O pequeno caça chinês é capaz de atingir duas vezes a velocidade do som, podendo transportar duas toneladas de armamentos ar-ar e ar-solo, além de portar um canhão de 23mm ou 30mm de acordo com a variante. 

O modelo quase foi exportado para o Brasil na década de 1980, o que acabou não acontecendo depois que os EUA venderam 26 F-5E/F usados para a Força Aérea Brasileira. 

7º – Sukhoi Su-25 Frogfoot 

Caça-bombardeiro Su-25UB- Foto: ©Yuri Smityuk/TASS

Assim como o Su-24, o Su-25 Frogfoot também é um jato de ataque ao solo, porém, dedicado às operações de suporte aéreo aproximado e ataque de instalações de menor importância, como seu homólogo americano, o A-10 Thunderbolt II. 

Operando em 20 países, o Frogfoot ocupa a sétima posição com cerca de 470 aeronaves em serviço na Rússia, Iraque, Bielorrússia, Angola, Peru, Armênia, Azerbaijão e outros países. Inclusive, o Su-25 foi extensivamente usado no recente conflito entre essas duas últimas nações. 

Reconhecido por sua robustez e grande resistência ao fogo inimigo, o Su-25 pode carregar mais de 4 toneladas de uma variada gama de armamentos como mísseis anti-radar, bombas guiadas e foguetes pesados S-25, além de portar um canhão GSh-30-2 calibre 30mm de cano duplo. 

A variante Su-25UTG também é usada na formação de pilotos da Aviação Naval Russa. 

6º – Eurofighter Typhoon 

Dupla de caças Eurofighter Typhoon. Foto: RAF

Desenvolvido pela Alemanha, Reino Unido, Itália e Espanha, o Eurofighter Typhoon é o avião mais novo da lista. Um caça de 4.5 Geração, o EF-2000, como também é chamado, é um dos aviões mais modernos do mundo, com uma avançada suíte de guerra eletrônica, competindo diretamente com outros caças como o JAS-39E/F Gripen, Dassault Rafale e Sukhoi Su-35. 

Pelo menos 514 exemplares servem às forças aéreas da Alemanha, Reino Unido, Itália, Espanha, Arábia Saudita e Áustria além de ter encomendas firmes do Kuwait, Oman e Catar. 

Capaz de voar a Mach 2.0 e em Mach 1.5 em regime de supercruise – onde o avião voa supersônico sem usar a pós-combustão – o Typhoon pode usar as bombas e mísseis mais modernos disponíveis no mercado, como o IRIS-T, Meteor, Storm Shadow e Paveway IV, com uma capacidade transportar 9 toneladas de carga útil. 

5º – Mikoyan-Gurevich MiG-29/35 Fulcrum 

Caças MiG-29 da Força Aérea Eslovaca. Foto: Força Aérea Eslovaca

Chegando no Top 5 com uma das aeronaves de combate mais conhecidas do mundo, o russo MiG-29 Fulcrum. Desenvolvido nos anos 70 para operar junto com o Sukhoi Su-27, o MiG-29 é reconhecido por sua agilidade e performance. Outra característica que costuma chamar atenção é o grande volume de fumaça gerada pelos motores turbofan RD-33. 

O caça está em serviço em 25 países com 817 unidades operantes. Dentre eles estão Polônia, Rússia, Peru, Argélia, Cuba, Índia, Irã, Sérvia, Coreia do Norte e vários outros. Ao longo de sua carreira a aeronave tem sido bastante usada em combate, tendo inclusive enfrentado o próprio Su-27 em combate real na guerra entre Eritréia e Etiópia no final dos anos 1990. 

O caça pode carregar até 4 toneladas de armamentos diversos em sete pontos duros, sendo seis nas asas e um na fuselagem entre os motores. Além isso, ele também é ermado com um canhão GSh-30-1 de 30mm. 

4º – Boeing F/A-18 Hornet/Super Hornet

F/A-18C Hornet e F/A-18E Super Hornet voando juntos. Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Chase Hawley/US Navy,

O principal caça naval em serviço também é um dos mais presentes no “espaço aéreo”. O F/A-18 nasceu do projeto do YF-17 Cobra da Northrop, mas que acabou sendo comercializado pela McDonnell Douglas (mais tarde adquirida pela Boeing), substituindo parcialmente o A-6 Intruder e o A-7 Corsair II. Ainda em serviço, o Hornet já mostra os sinais da idade e do uso intenso da aviação de combate, especialmente nos modelos usados nos EUA. 

Já o Super Hornet veio na década de 90 e substituiu o famoso Grumman F-14 Tomcat. O “irmão mais novo” logo estará passando para o padrão Block III, que incorpora várias atualizações estruturais e de aviônicos. 

Pelo menos 884 F/A-18 estão em serviço nos EUA, Malásia, Espanha, Suíça, Finlândia, Kuwait, Canadá e Austrália. 

Apesar as diferenças de performance, Hornet e Super Hornet compartilham diversas características. Ambos são armados com um canhão rotativo M61 Vulcan de 20mm no nariz e podem ser armados com boa parte das bombas e mísseis disponíveis no arsenal americano e outros armamentos do mercado internacional. 

3º – Boeing F-15 Eagle/Strike Eagle 

Caças F-15E Strike Eagle e F-15C Eagle da Força Aérea Americana. Foto: Senior Airman Erin Trower/USAF.

O terceiro lugar é ocupado pelo caça de maior sucesso em combate aéreo na história: abateu 104 aviões sem nunca ter sido derrubado por outra aeronave. O F-15 é uma aeronave de peso! 

O F-15 Eagle surgiu no início da década de 1970 como um avião dedicado à superioridade aérea – ou seja, desenvolvido especificamente para derrubar outros caças – e mais tarde evoluiu para o Strike Eagle, um caça-bombardeiro de longo alcance para substituir o F-111 Aardvark. 

Hoje existem 956 F-15 de diversas variantes em serviço nos Estados Unidos, Israel, Arábia Saudita, Coreia do Sul, Singapura e Japão. Logo uma das versões mais modernas do caça, o F-15QA, entrará em serviço com a Força Aérea do Catar. O mesmo serve para o F-15EX Eagle II, desenvolvido para substituir os exemplares mais antigos da frota americana. 

Reconhecido principalmente pela sua performance – o Eagle pode superar os 2600 Km/h -, ele pode empregar mísseis AIM-9 e AIM-120, bombas Paveway e JDAM, mísseis de cruzeiro AGM-158 JASSM, com características stealth, e vários outros armamentos. 

2º – Sukhoi Su-27/Su-30 Flanker

Sukhoi Su-30SM Flanker-C armado com mísseis R-73, R-77 e Kh-31. Foto UAC.

O segundo lugar é ocupado pelo “arqui-inimigo” do F-15: o Su-27 Flanker. Ele e o MiG-29 surgiram na antiga União Soviética para fazer frente ao Eagle e ao F-16. Um dos aviões mais admirados pelos entusiastas de aviação, o Su-27 e os caças que o sucederam são bastante reconhecidos pelo seu alto nível de manobrabilidade. 

Existem 1057 Flankers operando atualmente, servindo na Rússia, Venezuela, Argélia, Índia, Malásia, Ucrânia, Vietnã, Indonésia, China e outros países. A versão original deu origem à múltiplas variantes e subvariantes. O próprio Su-30 tem mais de 15, por exemplo.

Apesar da quantidade de aeronaves, o Flanker viu pouquíssimo combate com outros aviões semelhantes. Ainda assim, não deve ser subestimado: além de carregar um canhão de 30mm, pode usar até 12 mísseis ar-ar, dependendo da variante (é o caso do Su-35S Flanker-E, por exemplo), sem mencionar, ainda, sua respeitável suíte eletrônica. 

1º – Lockheed Martin F-16 Fighting Falcon

F-16D ‘Brakeet’ da Força Aérea de Israel decolando com bombas GBU-31 JDAM para atacar alvos do Hamas na Palestina. Foto IAF.

Vamos direto ao ponto: existem 2267 F-16 em operação no mundo. Desde 1973, mais de 4600 Vipers foram produzidos e o caça segue em fabricação. O F-16 é o caça de 4ª Geração mais produzido de todos os tempos, sendo bem provável que esse número não seja superado. 

Mesmo sendo pequeno e muito ágil, o F-16 pode carregar 7,7 toneladas de armamentos variados, como mísseis anti-navio e anti-radar, bombas de penetração contra bunkers e estruturas reforçadas e até mesmo ogivas nucleares. 

Servindo em 26 países, o caça vem recebendo atualizações constantes e sua última variante, F-16V Block 70, incorpora aviônicos e sistemas bastante avançados e já vem entrando em serviço. O F-16 vai manter o posto de caça mais usado do mundo por bastante tempo. 

Caças F-16C/D Fighting Falcon da Força Aérea Turca. Foto: Força Aérea Turca.

 

Aí estão os caças mais utilizados no mundo. A lista foi apurada pela Flightglobal e está disponível no artigo World Air Forces 2021.