Caças F-15 Eagle.

Dentro da aviação militar, os aviões de caça são, definitivamente, os modelos mais famosos e que mais chamam atenção, seja por seu design, sua performance, aparição na mídia ou até a sua própria aplicação em combate. 

São inúmeros modelos, com várias funções e diferentes capacidades, alguns maiores, outros mais baratos, enfim, diversas variáveis. Mas você já parou para prensar quais são os caças mais usados pelas forças aéreas ao redor do planeta?

O portal Flightglobal listou em seu compilado World Air Forces os dez modelos de caça mais operados no mundo. Vamos conhecê-los! 

10º – Northrop F-5 Freedom Fighter e Tiger II

F-5EM Tiger II do Esquadrão Pampa decolando. Foto: Gabriel Centeno.

O F-5 é o produto de maior sucesso da fabricante americana Northrop (hoje Northrop Grumman). Seu desenvolvimento começou ainda na década de 50 com o projeto N156. Seu primeiro sucesso, todavia, foi na forma de um avião de treinamento, o T-38 Talon, ainda em serviço também.

Mais tarde o avião passou a ser comercializado para aliados dos EUA. As duas versões do caça leve, F-5A/B Freedom Fighter e F-5E/F Tiger II foram comercializadas para 34 países e cerca de 2246 unidades das duas versões foram produzidas. 

Por ser um caça leve, o F-5 tem diversas limitações como autonomia e capacidade carga, mas seu baixo custo operacional, manutenção simples e programas de modernização são fatores que colocam o Tigre no 9º lugar da lista, com aproximadamente 412 aeronaves em serviço. 

Com sete pontos para instalação de armas e dois canhões de 20mm, o F-5E Tiger II pode carregar 3.2 toneladas de bombas, foguetes e mísseis diversos. O F-5 está em serviço em diversos países como Estados Unidos, Suíça, Turquia, Irã, Taiwan, Coreia do Sul, México, Espanha, Botswana e outros. 

Aqui no Brasil ele já é um velho conhecido. A Força Aérea Brasileira modernizou 47 aviões com sistemas de Quarta Geração, mas já adquiriu 36 caças F-39E/F Gripen para substituir o velho combatente. Os F-5EM/FM, como são designados pela FAB, são operados por unidades no Rio Grande do Sul, Amazonas, Rio de Janeiro e Goiás. 

9º – Chengdu J-7

Chengdu J-7G da Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China. Foto via Military Watch Magazine.

Com 445 unidades em serviço na Força Aérea e na Marinha da China, o 8º lugar é uma cópia chinesa do Mikoyan-Gurevich MiG-21 Fishbed. O Chengdu J-7 (designado F-7 nas versões de exportação) nasceu nos 1960 e vem sendo atualizado desde então. 

O pequeno caça chinês é capaz de atingir duas vezes a velocidade do som, podendo transportar duas toneladas de armamentos ar-ar e ar-solo, além de portar um canhão de 23mm ou 30mm de acordo com a variante. 

O modelo quase foi exportado para o Brasil na década de 1980, o que acabou não acontecendo depois que os EUA venderam 26 F-5E/F usados para a Força Aérea Brasileira. 

8º – Lockheed Martin F-35 Lightning II

F-35 USAF Lakenheath
Um F-35A Lightning II do 34th Fighter Squadron pousando na RAF Lakenheath, durante um treinamento em 2017. Foto: Master Sgt. Eric Burks/USAF.

O modelo que ocupa a posição de 8º lugar no ranking é também o mais avançado da lista. O F-35 Lightning II é um caça furtivo de 5ª geração, já adquirido por 15 países diferentes, apesar da polêmica que gira em torno da aeronave pelo seu preço e quantidade de problemas. Dois acidentes graves recentes também mancham a reputação do avião, apesar de serem vistos como erro humano.

Ainda assim, 445 caças F-35 estão em serviço na América, Europa, Ásia e Oceania. E esse número deve crescer ainda mais, já que cada vez mais nações tem se interessado pelo caça stealth norte-americano. 

7º – Sukhoi Su-25 Frogfoot 

Caça-bombardeiro Su-25UB- Foto: ©Yuri Smityuk/TASS

O Su-25 Frogfoot é um jato de ataque ao solo, dedicado às operações de suporte aéreo aproximado e ataque de instalações de menor importância, como seu homólogo americano, o A-10 Thunderbolt II. 

Operando em 20 países, o Frogfoot ocupa a sétima posição com cerca de 474 aeronaves em serviço na Rússia, Iraque, Bielorrússia, Angola, Peru, Armênia, Azerbaijão e outros países. Inclusive, o Su-25 foi extensivamente usado no recente conflito entre essas duas últimas nações. 

Reconhecido por sua robustez e grande resistência ao fogo inimigo, o Su-25 pode carregar mais de 4 toneladas de uma variada gama de armamentos como mísseis anti-radar, bombas guiadas e foguetes pesados S-25, além de portar um canhão GSh-30-2 calibre 30mm de cano duplo. 

A variante Su-25UTG também é usada na formação de pilotos da Aviação Naval Russa. 

6º – Eurofighter Typhoon 

Dupla de caças Eurofighter Typhoon. Foto: RAF

Desenvolvido pela Alemanha, Reino Unido, Itália e Espanha, o Eurofighter Typhoon é o avião mais novo da lista. Um caça de 4.5 Geração, o EF-2000, como também é chamado, é um dos aviões mais modernos do mundo, com uma avançada suíte de guerra eletrônica, competindo diretamente com outros caças como o JAS-39E/F Gripen, Dassault Rafale e Sukhoi Su-35. 

Pelo menos 512 exemplares servem às forças aéreas da Alemanha, Reino Unido, Itália, Espanha, Arábia Saudita e Áustria além de ter encomendas firmes do Kuwait, Oman e Catar. 

Capaz de voar a Mach 2.0 e em Mach 1.5 em regime de supercruise – onde o avião voa supersônico sem usar a pós-combustão – o Typhoon pode usar as bombas e mísseis mais modernos disponíveis no mercado, como o IRIS-T, Meteor, Storm Shadow e Paveway IV, com uma capacidade transportar 9 toneladas de carga útil. 

5º – Mikoyan-Gurevich MiG-29/35 Fulcrum 

Caças MiG-29 da Força Aérea Eslovaca. Foto: Força Aérea Eslovaca

Chegando no Top 5 com uma das aeronaves de combate mais conhecidas do mundo, o russo MiG-29 Fulcrum. Desenvolvido nos anos 70 para operar junto com o Sukhoi Su-27, o MiG-29 é reconhecido por sua agilidade e performance. Outra característica que costuma chamar atenção é o grande volume de fumaça gerada pelos motores turbofan RD-33. 

O caça está em serviço em 25 países com 822 unidades operantes. Dentre eles estão Polônia, Rússia, Peru, Argélia, Cuba, Índia, Irã, Sérvia, Coreia do Norte e vários outros. Ao longo de sua carreira a aeronave tem sido bastante usada em combate, tendo inclusive enfrentado o próprio Su-27 em combate real na guerra entre Eritréia e Etiópia no final dos anos 1990. 

O caça pode carregar até 4 toneladas de armamentos diversos em sete pontos duros, sendo seis nas asas e um na fuselagem entre os motores. Além isso, ele também é ermado com um canhão GSh-30-1 de 30mm. 

4º – Boeing F/A-18 Hornet/Super Hornet

F/A-18C Hornet e F/A-18E Super Hornet voando juntos. Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Chase Hawley/US Navy,

O principal caça naval em serviço também é um dos mais presentes no “espaço aéreo”. O F/A-18 nasceu do projeto do YF-17 Cobra da Northrop, mas que acabou sendo comercializado pela McDonnell Douglas (mais tarde adquirida pela Boeing), substituindo parcialmente o A-6 Intruder e o A-7 Corsair II. Ainda em serviço, o Hornet já mostra os sinais da idade e do uso intenso da aviação de combate, especialmente nos modelos usados nos EUA. 

Já o Super Hornet veio na década de 90 e substituiu o famoso Grumman F-14 Tomcat. O “irmão mais novo” logo estará passando para o padrão Block III, que incorpora várias atualizações estruturais e de aviônicos. 

Pelo menos 893 F/A-18 estão em serviço nos EUA, Malásia, Espanha, Suíça, Finlândia, Kuwait, Canadá e Austrália. 

Apesar as diferenças de performance, Hornet e Super Hornet compartilham diversas características. Ambos são armados com um canhão rotativo M61 Vulcan de 20mm no nariz e podem ser armados com boa parte das bombas e mísseis disponíveis no arsenal americano e outros armamentos do mercado internacional. 

3º – Boeing F-15 Eagle/Strike Eagle 

Caças F-15E Strike Eagle e F-15C Eagle da Força Aérea Americana. Foto: Senior Airman Erin Trower/USAF.

O terceiro lugar é ocupado pelo caça de maior sucesso em combate aéreo na história: abateu 104 aviões sem nunca ter sido derrubado por outra aeronave. O F-15 é uma aeronave de peso! 

O F-15 Eagle surgiu no início da década de 1970 como um avião dedicado à superioridade aérea – ou seja, desenvolvido especificamente para derrubar outros caças – e mais tarde evoluiu para o Strike Eagle, um caça-bombardeiro de longo alcance para substituir o F-111 Aardvark. 

Hoje existem 963 F-15 de diversas variantes em serviço nos Estados Unidos, Israel, Arábia Saudita, Coreia do Sul, Singapura e Japão. Logo uma das versões mais modernas do caça, o F-15QA, entrará em serviço com a Força Aérea do Catar. O mesmo serve para o F-15EX Eagle II, desenvolvido para substituir os exemplares mais antigos da frota americana. 

Reconhecido principalmente pela sua performance – o Eagle pode superar os 2600 Km/h -, ele pode empregar mísseis AIM-9 e AIM-120, bombas Paveway e JDAM, mísseis de cruzeiro AGM-158 JASSM, com características stealth, e vários outros armamentos. 

2º – Sukhoi Su-27/Su-30 Flanker

Sukhoi Su-30SM Flanker-C armado com mísseis R-73, R-77 e Kh-31. Foto UAC.

O segundo lugar é ocupado pelo “arqui-inimigo” do F-15: o Su-27 Flanker. Ele e o MiG-29 surgiram na antiga União Soviética para fazer frente ao Eagle e ao F-16. Um dos aviões mais admirados pelos entusiastas de aviação, o Su-27 e os caças que o sucederam são bastante reconhecidos pelo seu alto nível de manobrabilidade. 

Existem 1063 Flankers operando atualmente, servindo na Rússia, Venezuela, Argélia, Índia, Malásia, Ucrânia, Vietnã, Indonésia, China e outros países. A versão original deu origem à múltiplas variantes e subvariantes. O próprio Su-30 tem mais de 15, por exemplo.

Apesar da quantidade de aeronaves, o Flanker viu pouquíssimo combate com outros aviões semelhantes. Ainda assim, não deve ser subestimado: além de carregar um canhão de 30mm, pode usar até 12 mísseis ar-ar, dependendo da variante (é o caso do Su-35S Flanker-E, por exemplo), sem mencionar, ainda, sua respeitável suíte eletrônica. 

1º – Lockheed Martin F-16 Fighting Falcon

F-16D ‘Brakeet’ da Força Aérea de Israel decolando com bombas GBU-31 JDAM para atacar alvos do Hamas na Palestina. Foto IAF.

Vamos direto ao ponto: existem 2248 F-16 em operação no mundo. Desde 1973, mais de 4600 Vipers foram produzidos e o caça segue em fabricação. O F-16 é o caça de 4ª Geração mais produzido de todos os tempos, sendo bem provável que esse número não seja superado. 

Mesmo sendo pequeno e muito ágil, o F-16 pode carregar 7,7 toneladas de armamentos variados, como mísseis anti-navio e anti-radar, bombas de penetração contra bunkers e estruturas reforçadas e até mesmo ogivas nucleares. 

Servindo em 26 países, o caça vem recebendo atualizações constantes e sua última variante, F-16V Block 70, incorpora aviônicos e sistemas bastante avançados e já vem entrando em serviço. O F-16 vai manter o posto de caça mais usado do mundo por bastante tempo. 

Caças F-16C/D Fighting Falcon da Força Aérea Turca. Foto: Força Aérea Turca.

 

Aí estão os caças mais utilizados no mundo. A lista foi apurada pela Flightglobal e está disponível no artigo World Air Forces 2021.