Gripen NG (Mock up)

O primeiro voo do primeiro Gripen E do Brasil acontecerá em Linköping, na Suécia, no mês de agosto. O caça já está no processo de fabricação com presença de engenheiros suecos e brasileiros.

Os dois primeiros Gripens E já voaram, porém pertencem a Força Aérea sueca que também irá adquirir no novo caça. O modelo brasileiro que é o terceiro a ser produzido voará no mês de agosto.

O projeto FX-2 depois de um longo tempo de decisão saiu, e a escolha foi o caça sueco Gripen E/F ou F-39 (como será chamado dentro da FAB). Um dos acordos envolvendo o caça é a transferência de tecnologia, com isso o Brasil terá uma grande participação na fabricação do caça podendo até investir tecnologia brasileira nos aviões e construir algumas unidades deles no Brasil, sob comando da Embraer.

Uma das tecnologias embarcadas será as telas que auxiliam os pilotos na pilotagem, e manuseio de armas. A empresa brasileira AEL, sob coordenação da israelense Elbit, criou uma tela única e grande touch-screen que facilitará os trabalhos dos pilotos a ideia foi de bom grado de todos e os suecos optaram por terem esse sistemas de telas em seus caças.

Esquema de tela única idealizado e produzido pela empresa brasileira AEL. Foto – Força Aérea Brasileira

“Os caças Gripen terão agora a mesma configuração para os displays, harmonizando os programas sueco e brasileiro. Isso significa uma grande economia na manutenção da aeronave e no futuro desenvolvimento de software. Esse é realmente um bom exemplo da colaboração bem-sucedida entre a Saab e a indústria de defesa brasileira”, explicou Mikael Franzén, Vice-Presidente da Unidade de Negócios Gripen Brasil da Saab.

Gripen E-Foto/Divulgação- SAAB

A Embraer também tem um espaço significativo dentro da produção dos Gripens, ela ficará responsável pela produção de 15 unidades dos jatos e irá conduzir a produção da versão biplace (para dois tripulantes) , aqui no Brasil, em Gavião Peixoto-SP, sob olhares de membros da SAAB. Por outro lado outra parte será construída na Suécia, com observadores brasileiros da Embraer.

Ao todo serão 36 unidades do caça, que custaram em média R$ 16,3 bilhões. A primeira base a receber os novos caças pertencentes a 4º ++ será a Ala 2 em Anápolis-GO. É esperado que o primeiro exemplar do F-39 fabricado na Suécia seja entregue a FAB em 2021.

 

Fonte de apoio – FAB