F-35B do USMC a bordo do HMS Queen Elizabeth. Foto via US Navy.

Nove caças stealth F-35B Lightning II do esquadrão VMFA-211 do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA embarcaram no porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth nesta semana, junto de outros oito F-35B da RAF. O Embarque conjunto faz parte do primeiro desdobramento da embarcação britânica. 

Chamado de CSG21 (Carrier Strike Group 2021), o desdobramento representa a maior força-tarefa aeronaval do Reino Unido desde a Guerra das Malvinas/Falklands, em 1982, segundo o The Aviationist.

No domingo (02) e na segunda-feira (03), os caças da Força Aérea Real decolaram da base aérea de RAF Marham, enquanto os americanos saíram de RAF Lakenheath, partindo para o porta-aviões.

Um dos F-35B do VMFA-211 decolando de RAF Lakenheath para embarcar no HMS Queen Elizabeth. Foto: Stewart Jack via The Aviationist.

É previsto que o Queen Elizabeth inicie sua navegação até as águas do Extremo Oriente no final de maio. Porém, antes de chegar na região, o porta-aviões e seu grupo de ataque estarão envolvidos nos exercícios Joint Warrior/Strike Warrior, na costa da Escócia, em conjunto com outros membros da OTAN.

Segundo o Ministério da Defesa do Reino Unido, esta será a primeira vez que aviões de combate do Reino Unido embarcarão em um porta-aviões operacional desde 2010, e será o maior número de F-35B a navegar pelos mares.

Quando a embarcação estiver no Mar Mediterrâneo, os F-35B do 617 Squadron da Força Aérea Real, o Esquadrão Dambusters, participarão de missões da Operação Shader contra o Daesh, elemento do Estado Islâmico, no Iraque e na Síria. 

“Os jatos F-35B Lightning terão um poderoso golpe contra o Daesh e ajudarão a impedi-los de retomar uma posição no Iraque. Este é um excelente exemplo das Forças Armadas do Reino Unido avançando com nossos aliados para enfrentar ameaças persistentes em todo o mundo. É a Grã-Bretanha Global em ação”, diz o Ministro da Defesa britânico, James Heappey. 

Um par de F-35B da RAF a bordo do HMS Queen Elizabeth. Foto: Ministério da Defesa Britânico.

Ainda não se sabe se os F-35 do USMC se juntarão às suas contrapartidas britânicas nas operações contra o Daesh, todavia, não seria a primeira vez que o VMFA-211 vê combate empregando os caças de quinta geração.

Em setembro de 2018, operando a partir de um navio de assalto anfíbio da Marinha dos EUA, o USS Wasp, caças F-35B do esquadrão realizaram a primeira missão de combate com a versão de pouso e decolagem vertical do F-35, atacando posições de insurgentes na Província de Kandahar, no Afeganistão, armados com bombas GBU-32 JDAM e o pod de canhão 25mm.