A China iniciou a fabricação do seu turboélice MA700, que é projetado e produzido pela estatal Aviation Industry Corporation of China (AVIC).

O MA700 é capaz de transportar entre 78 a 85 passageiros, um pouco mais do que encontramos no ATR 72-600. Algumas características, como o alcance de 1500 km com peso máximo de decolagem e a velocidade de 550 km/h para voos de cruzeiro identificam o avião como um turboélice de operação puramente regional.

Tendo essas características em mão, sabemos que a intenção da China é clara de formar produtos que sejam capazes de substituir a dependência do país de tecnologias de outros países. A China também desenvolve através das suas empresas estatais os jatos ARJ 21 e C919, os dois da Comac, e agora está projetando em parceria com a Rússia um avião de duplo corredor com capacidade semelhante a do Boeing 787.

Cerca de 185 encomendas já foram realizadas, a partir de 11 clientes que se interessaram pelo avião, a maioria da China.

O primeiro voo do MA700 está programado para novembro de 2019, iniciando os voos comerciais em 2021, isso se o período de certificação seguir o cronograma, ao contrário dos atrasos do C919. Vale lembrar que a aeronave foi oficialmente apresentada em 2007 pela AVIC.

O turboélice não é feito para operar em solos despreparados. A motorização é composta por dois motores Pratt & Whitney Canadá PW150C.

Mesmo com essas iniciativas das empresas chinesas, e incentivo do governo para os bancos financiarem esses aviões que vão operar nas companhias aéreas nacionais, ainda há uma demanda por aeronaves de outros fabricantes pelas companhias aéreas chinesas, principalmente pela falta de experiência de fabricação das empresas estatais.