Boeing 737 MAX
Foto - Paul Gordon/Boeing

A fabricante norte-americana Boeing chegou a 216 aeronaves comerciais entregues no primeiro semestre de 2022, os bons números foram alavancados graças ao 737 MAX.

Nos primeiros seis meses do ano, a Boeing entregou 189 unidades do 737 MAX, dessas entregas 103 foram somente no segundo trimestre. Boa parte dessas aeronaves estavam estocadas, em janeiro esse número era de 335 aviões.

A medida que os modelos 737 MAX estão sendo atualizados com as novas exigências, o estoque vai diminuindo. Por outro lado, a Boeing está mantendo uma taxa mensal de fabricação do seu carro-chefe a uma média de 31 aeronaves por mês.

A fabricante tem recebido novas encomendas para o modelo e também corre contra o tempo para certificar a tempo a variante maior, MAX 10.

No segundo trimestre também foram entregues dois Boeings 747, que estão chegando as últimas entregas do modelo, todas direcionadas para a Atlas Air. O Boeing 767 registrou doze entregas, todas da versão cargueira sendo sete no segundo trimestre.

O Boeing 777 também teve um bom desempenho, com nove entregas somente no segundo trimestre o modelo chegou a doze entregas no ano. 

O Boeing 787 foi o único modelo que não teve nenhuma entrega, o avião ainda está enfrentando um processo de avaliação em razão dos problemas enfrentados. Desde outubro a fabricante não entrega nenhum Dreamliner.

Na parte de defesa e segurança, a fabricante entregou 41 aeronaves entre os modelos de helicópteros AH-64 Apache tanto novos como reformulados, assim como do modelo CH-47 Chinook. Na parte dos aviões de caça foram entregues quatro aviões F-15 e quatro F-18 Super Hornet.

A Boeing também entregou mais quatro aeronaves de reabastecimento e multimissão KC-46 e também mais três aeronaves P-8 Poseidon, alcançando o marco de 100 entregas do avião que tem como base o Boeing 737.

A fabricante ainda deverá fornecer detalhes no final do mês sobre seus resultados referentes ao primeiro semestre desse ano.

 

 

Com informações da Boeing.