A Airbus terminou 2017 bem no mercado financeiro, a empresa teve uma alta de 189% no lucro líquido, com € 2,8 bilhões, ante € 995 milhões em 2016. O lucro operacional foi de € 4,253 bilhões.

A receita total da empresa nesse período, considerando todas as unidade de atuação, foi de € 66,8 bilhões, uma pequena alta em relação a 2016. A receita na unidade de aviação comercial teve alta de 3,5%, enquanto a divisão ‘Defense and Space’ teve alta de 7%, impulsionada pelo maior comércio de aeronaves militares.

Na divisão de helicópteros a Airbus já acumula 692 pedidos. Em 2017 a Airbus entregou 409 helicópteros. A empresa continua alocando recursos para desenvolver o H160, são tres protótipos na frota de testes, com certificação de aeronavegabilidade prevista para 2019.

O EBIT, lucro antes dos Juros e Tributos, da divisão de helicópteros foi de € 337 milhões, uma queda em relação aos anos anteriores mas que foi esclarecida pela empresa, a produção de helicópteros diminuiu em 2017, devido à baixa demanda do mercado.

Já o EBIT da divisão de aviões comerciais foi de € 3,554 bilhões, uma alta considerável em relação ao ano anterior. O aumento do lucro foi causado pela maior taxa de entrega de aeronaves em 2017 e um melhor desempenho cambial entre os países.

O EBIT da divisão de defesa e espaço afetou bastante os resultados da Airbus, com um prejuízo de € 872 milhões, em boa parte causado pelo programa A400M, que demandou um gasto de 1,299 bilhões de euros em 2017, sendo € 1,149 milhões só no quarto trimestre. Além disso a divisão de defesa teve um gasto de 117 milhões de euros devido ao processo de investigação da compra de caças pela Áustria. 

A Airbus espera registrar um EBIT 20% maior em 2018, ao mesmo tempo que aumenta a receita e os gastos, devido ao aumento da fabricação de aeronaves em 2018. O maior resultado será derivado de mudanças contábeis.

As ações da Airbus saltaram 10,3 por cento depois que a empresa superou as expectativas de lucro e receita. A Airbus também propôs o pagamento de dividendo no valor de € 1,50 por ação em 18 de abril de 2018, a proposta será encaminhada à uma Assembléia Geral Ordinária com os acionistas pelo Conselho de Administração da empresa.

 

Entregas e encomendas

Em 2017 a Airbus novamente terminou com um recorde de entregas. Foram 718 aeronaves produzidas e recebidas pelos clientes da empresa.

No total 558 aviões da família A320 foram produzidos, incluindo os 181 da família A320neo. Com esse número a Airbus conseguiu realmente consolidar sua perspectiva de aumento de produção do A320neo, houve um crescimento de 166% na produção, comparando com 2016.

Enquanto na linha de wide-body da Boeing o 787 lidera, na Airbus esse posto fica com o A350XWB, que teve 78 unidades produzidas, um aumento substancial em relação a 2016 principalmente devido à falta de problemas com os fornecedores, que a Airbus enfrentou em 2015 e 2016.

Atrás vem o Airbus A330, com 67 entregas, um bom número, considerando que o A330neo está previsto para estrear neste ano no mercado.

Com dificuldades para conseguir mais encomendas, o A380 registrou somente 15 aviões produzidos.

Cerca de 85 clientes receberam aeronaves da Airbus em 2017. Além disso 44 clientes encomendaram 1109 aeronaves, um resultado positivo para a carteira de pedidos, com números melhores em comparação com o obtido pela Boeing. O valor total dessas encomendas é de US$ 138 bilhões, quando considerado o preço de lista.

A Airbus terminou o ano com 7265 aeronaves encomendadas em sua carteira de pedidos, isso pode sustentar a produção da empresa por mais de 10 anos, caso nenhuma companhia cancele as encomendas e a Airbus seja capaz de manter a mesma taxa de produção de 2017. O custo total dessa carteira de pedidos pode gerar até 997 bilhões em receita para a empresa.

 

Comparativo com a Boeing

Fabrica da Boeing em Everett. Foto – Boeing

Já a principal concorrente da Airbus conseguiu superar o número de entregas, mesmo com a baixa na produção do 777 Classic e do 747. A Boeing entregou 763 aviões em 2017, foram 665 aviões só dos modelos 737 e 787.

Em todo ano a Boeing obteve 912 pedidos firmes, o montante total dessas encomendas resultam em US$ 134,8 bilhões considerando o preço de lista, a empresa não divulgou a quantidade de opções de compra durante esse período.

Com isso a Boeing fechou o ano com 5864 aviões em sua carteira de pedidos a serem entregues, o que garante a produção por mais de 7 anos, mantendo a mesma taxa de entrega atual. Dessa forma somando US $ 488 bilhões em possível receita para o futuro.

Em comparação com a Airbus, a Boeing conseguiu um lucro operacional de US$ 10,2 bilhões, registrando uma alta de 76% em relação a 2016. O lucro líquido acompanhou a forte alta, só nesse dado a Boeing registrou US$ 8,1 bilhões. 

A receita da empresa diminuiu 1%, registrando 93,4 bilhões. A empresa teve margem operacional de US $ 13,3 bilhões em 2017, um crescimento de 11%. 

Todos esses valores são superiores aos dados apresentados pela Airbus.

O ganho por ação sofreu a influência do lucro, passando de US$ 7,61 para US$ 13,43, um valor também superior ao da Airbus.

A Boeing prevê entregar 6 a 6,8% mais aeronaves em 2018, atingindo a marca de 815 aviões fabricados. Com isso a receita da empresa deverá aumentar para algo entre US$ 96,0 e US$ 98,0 bilhões.

Já a margem operacional será de US$ 15,0 bilhões em 2018. 

 

Tabela geral (em inglês):

(Amounts in Euro)

Airbus

FY 2017

FY 2016

Change

Revenues, in millions

66,767

66,581

0%

thereof defence, in millions

9,892 

11,102

-11%

EBIT Adjusted, in millions

4,253

      3,955

+8%

EBIT (reported), in millions

3,421

      2,258

+52%

Research & Development expenses,
in millions

2,807

      2,970

-5%

Net Income(2), in millions

2,873

995

+189%

Earnings Per Share (EPS)

 3.71

1.29

+188%

Free Cash Flow (FCF), in millions

3,735

 3,181

+17%

Free Cash Flow 
before M&A
, in millions

2,849

1,156

+146%

Free Cash Flow before M&A
and Customer Financing
, in millions

2,949

1,408

+109%

Dividend per share(3)

1.50

1.35

+11%

Order Intake(1), in millions

157,690

134,480

+17%

    
    

Airbus

31 Dec
2017

31 Dec
2016

Change

Order Book(1), in millions

996,822

1,060,447

-6%

thereof defence, in millions

36,921 

39,811

-7%

Net Cash position, in millions

13,391

11,113

 +20%

Employees

129,442

133,782

-3%

 

By Business Segment

Revenues

EBIT  (reported)

(Amounts in millions of Euro)

FY
2017

FY
2016

Change

FY 
2017

FY
2016

Change

Commercial Aircraft

    50,958

49,237

 +3%

3,428

1,543

+122%

Helicopters

     6,450

6,652

-3%

337

308

+9%

Defence and Space

    10,804

11,854

-9%

212

-93

         –

Headquarters / Eliminations

-1,445

-1,162

-556

500

Total

66,767

66,581

0%

3,421

2,258

+52%

       

 

By Business Segment

EBIT Adjusted

(Amounts in millions of Euro)

FY 
2017

FY

2016

Change

Commercial Aircraft

3,554

2,811

+26%

Helicopters

337

350

-4%

Defence and Space

872

1,002

-13%

Headquarters / Eliminations

-510

-208

Total

4,253

3,955

+8%