Embraer Ipanema
Foto - Embraer

Com o tema “Novos Tempos”, indicando a volta do evento presencial e o avanço das tecnologias aeroagrícolas, o Congresso Nacional de Aviação Agrícola contou com a participação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Realizado em Sertãozinho, interior de São Paulo (SP), nos dias 19 a 21 de julho, o evento foi promovido pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag). A Agência contou com um estande próprio para promover a disseminação de informações sobre aviação agrícola com o público presente no congresso. 

Na abertura e no primeiro painel do evento, “Cenários de desenvolvimento”, representantes da ANAC reforçaram a importância de oportunidades, como a desse evento, para manter a proximidade com o regulado, entender as necessidades desse público e traçar o caminho para atendê-las.

Também ressaltaram o impacto positivo da regulação no setor e a relevância da participação social, convidando os espectadores a participarem das consultas públicas (clique para acessar).  

A ocasião, ainda, possibilitou enfatizar a comunicação por meio de grupos do Telegram, como o canal focado no público aeroagrícola, uma novidade lançada durante o Congresso. 

Além deste, a ANAC possui outros dois canais no Telegram, sendo um direcionado às organizações de manutenção e outro focado em segurança operacional (clique nos links para acessar). Por meio deles, os interessados, recebem informações selecionadas e exclusivas. 

Ainda no primeiro dia, já no período da tarde, houve uma discussão sobre a revisão geral de motores para aviação geral no estande da ANAC. Foram abordados a avaliação de aspectos teóricos, a segurança operacional e o custo-benefício relacionado ao setor.

Os interessados puderam conhecer o que é a revisão geral, qual é o seu objetivo, quais são os tipos disponíveis no mercado, quem é o profissional que pode fazer a revisão geral de um motor, entre outros aspectos relacionados ao tema. 

No segundo dia de evento, a ANAC marcou presença no painel “De quem é a responsabilidade da manutenção?”. Foram debatidos os papéis dos profissionais no âmbito da temática do painel.

Por parte da Agência, foi debatida a importância de que a responsabilidade pela manutenção é de todos os envolvidos na atividade – desde o dono da empresa, passando pelos pilotos, responsável técnico, diretor de manutenção, mecânico e alcançando todos aqueles que trabalham na organização. 

Esse painel foi, ainda, uma oportunidade para esclarecer que os normativos da ANAC trazem o tema responsabilidade pela manutenção em vários pontos. O próprio CBA (Código Brasileiro de Aeronáutica), conforme dito durante a apresentação, traz a responsabilidade do operador e dos mantenedores a realizarem os serviços obedecendo as instruções dos fabricantes e seguindo os normativos da autoridade de aviação civil.  

Na ocasião, houve a explicação de que o papel da ANAC vai além de ser uma autoridade para aplicação de punição, mas acima disso, existem as funções do fomento e da orientação.

Durante as auditorias e vistorias, a Agência tem o cuidado em verificar se, de fato, o operador está cumprindo o programa de manutenção na íntegra, se o mecânico que está executando tem as qualificações necessárias, ou seja, se está adequadamente habilitado, se tem treinamento ou larga experiência. Além disso, é averiguado se o operador está utilizando as publicações atualizadas e ferramentas recomendadas. 

  

Via: Assessoria de Comunicação Social da ANAC