Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Airbus A318 Avianca Brasil
Foto: Matheus Felipe/Aeroflap

Na semana passada falamos do fracasso de alguns modelos produzidos pela Boeing, nesse artigo vamos continuar falando dos projetos malsucedidos da Airbus.

Desde o Airbus A300 lá em 1974 até o Airbus A319NEO na atualidade, a fabricante vem tentando acertar e alcançar grandes sucessos como o Airbus A320, Airbus A330, mas com alguns deslizes de projetos ou até mesmo a baixa do mercado não favoreceu para a venda de alguns modelos que ganharam pouca fama e grande destaque no nosso artigo de hoje.

Vamos conferir os modelos com menor procura no catálogo da Airbus:

Airbus A310C 

Via Jetphotos: Pete Fothergill

Como falamos no artigo anterior sobre o Boeing 757-200M, a Airbus também fabricou um modelo incomum do seu catálogo de aviões, é uma versão Kombi do Airbus A310 que poderia fazer operações mista de passageiro e cargueiro, apenas uma unidade foi construída e operada pela Martinair em 1989 e repassada para a Fedex em 1995, atualmente a aeronave se encontra estocada em Victorville.

Airbus A300-B1

Via Jetphotos: Toni Marimon

O Airbus A300-B1 certificado em 1974 teve apenas 2 unidades construídas, sendo a primeira utilizada apenas como protótipo e no mesmo ano desmontada, ficando apenas com uma única unidade a ser utilizada por companhia aérea, o OO-TEF foi passado a Trans European Airways no mesmo ano de fabricação, em janeiro de 1996 o único modelo também foi desmontado.

Airbus A350-900ULR 

O Airbus A350-900ULR (Ultra Long Range) é uma versão exclusiva que foi encomendada pela Singapore Airlines que pedia um aumento no peso para 280 toneladas e um ganho de capacidade de combustível passando de 141.000 litros para 165.000 litros, permitindo que a aeronave voasse até 19 horas sem fazer nenhum pouso para reabastecimento, no total a companhia encomendou 7 aeronaves para fazer voos ligando Singapura a Nova Iorque.

Airbus A340-200 

O menor modelo da família, o Airbus A340-200 entrou em serviço em maio de 1993 pela Air France, mas devido a sua grande fuselagem e quatro pequenos motores de baixa capacidade, sem nenhum ganho a aeronave não teve tanto mercado tendo apenas 28 pedidos e logo deu lugar ao A340-300, versão que leva 55 passageiros a mais que a versão 200.

Airbus A340-500 

Via jetphotos: Roberto Falciola

Ainda falando na família A340, dessa vez a versão 500 não teve muito sucesso, apesar dos 32 pedidos logo seu espaço foi perdido para a versão 600. O Airbus A340-500 ao ser lançado em 2002 foi considerado o maior avião em autonomia no mundo com 8.650 Milhas Náuticas convertido para Km fica na casa dos 16.000Km, como seu irmão mais novo o 200 ficou incomum sendo que a Airbus logo tinha lançado o A340-600 que foi mais aceito pelas companhias aéreas levando 66 passageiros a mais em três classes.

Airbus A319NEO 

A nova geração da família A320 foi um sucesso com o ganho de novos motores, mais autonomia, mais conforto, menos ruído e menos emissão de CO2, com o sucesso do A319/A320Ceo a fabricante também desenvolveu o Airbus A319NEO, mas teve uma baixa procura, até o momento  apenas 73 pedidos foram feitos, essa versão menor, tem o mesmo custo operacional levando menos passageiros com isso as companhias optam por levar o A320NEO que na maioria das versões e com pacotes de Sharp é possível pousos e decolagem em pista curta. 

Airbus A318 

A318 da Avianca

O Airbus A318 conhecido também como “Baby Bus” foi desenvolvido em 2001 pensando em pousar em pistas curtíssimas com grande autonomia doméstica e levando até 117 passageiros, teve apenas 80 pedidos devido grandes falhas ao longo do projeto que ja tinha sido impactado com os atentados de 11 de setembro que houve uma baixa no mercado aéreo, a Pratt & Whitney desenvolveu o motor PW6000 que foi o terror do A318, pois ele queimava mais combustível que o desenvolvido e tinha muitos problemas ao voar em locais quentes, por fim foram desenvolvidos algumas unidades com motores CFM, mas foi tarde demais para o “baby bus”.

DEIXE UMA RESPOSTA