Quando o assunto é foguete os olhos do mundo se focam no Cabo Canaveral na Flórida, EUA ou em Baikonur, Cazaquistão. Estes lugares e outros espalhados pelo mundo são grandes polos de lançamento.

Se formos citar exemplos, só do Cabo Canaveral partiram as missões lunares Apollo, dos Space Shuttle (Ônibus Espaciais) e agora os lançamentos da SpaceX, ULA e Boeing.

No entanto, aqui em nosso país também tem como lançar foguetes e a localização das bases brasileiras estão entre as melhores do mundo.

Trazemos aqui algumas curiosidades dos dois Centros de Lançamento no Brasil, o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão e o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), em Natal-RN.

 

Centro de Lançamento de Alcântara (CLA)

Foto: FAB

A História deste centro espacial que mudaria a rotina da cidade de Alcântara começou em 1979 quando a Comissão Brasileira de Atividades Espaciais – COBAE, propôs ao governo federal que um novo Centro de Lançamento fosse criado para atender as demandas da época de foguetes maiores, como o VLS-1 (Veículo Laçador de Satélites). Dado ao tamanho do foguete a operação de lançamento não poderia acontecer no CLBI, no estado do Rio Grande do Norte.

Porém antes de criar o que vem a ser hoje o CLA, foi necessário criar a Missão Espacial Completa Brasileira – MECB, que tinha como objetivo desenvolver, projetar um programa espacial completo, abrangendo tanto a área de satélites, quanto a de foguetes lançadores.


Após estudos para se chegar a uma conclusão foi decido que o novo Centro de Lançamento Brasileiro iria se instalar na cidade de Alcântara- MA. A localização a apenas 2º abaixo da Linha do Equador é bem satisfatória para alguns tipos de lançamentos.

Em 1982 criado o Grupo para Implantação do Centro de Lançamento de Alcântara – GICLA, hoje chamado apenas de CLA. No ano seguinte foi a vez de criar o Núcleo do Centro de Lançamento de Alcântara – NUCLA, que tinha como missão oferecer a infraestrutura local, bem como garantir a segurança dos técnicos e engenheiros.

 

Lançamentos no CLA:

O projeto espacial VLS (Veículo Lançador de Satélite) nasceu quase junto com o próprio CLA, mais especificamente em 1985.

Passados os anos de estudo para desenvolver o VLS-1, o voo do mesmo aconteceria em 1997. Todavia, durante a ignição um dos quatro propulsores teve um problema e o foguete teve que ser destruído.

Veículo Lançador de Satélites (VLS)- Foto: Autor desconhecido
Arte dos detalhe do VLS

Em 1999 foi a vez de testar o VLS-2 que que após o lançamento acabou explodindo. De acordo com a investigação da época a cauda da mesma foi por causa da penetração de chama na parte superior do bloco de propelente do propulsor do segundo estágio.

Quando falamos do CLA não tem como não lembrar do acidente com um foguete na torre de lançamento do centro. Estamos falando do V03 da Operação São Luiz que em 2003, explodiu enquanto técnicos estão trabalhando nele. O acidente além de destruir a estrutura de montagem do foguete, matou 21 técnicos.

Foto: Via Internet

 

A investigação apontou que houve um acionamento prematuro ocorrido três dias antes do lançamento do V03.

Em 2012 foi instalada na nova torre de 33 metros uma fiação que fornecia corrente elétrica para os um dos estágios do foguete.

No ano de 2015 uma outra explosão aconteceu no CLA, desta vez foi com um foguete suborbital VS-40M V3 explodiu no momento de ignição destruindo todo o foguete, neste caso no entanto, não houveram vítimas.

 

CLA Atualmente

O triste episódio com o V03 foi bem negativo para os projetos espaciais do Brasil que após o acidente não ganharam muita forte. No entanto, o CLA continuou a fazer lançamentos menores da FAB.

No ano passado o CLA voltou a ser destaque devido a abertura do centro para lançamentos internacionais, ou seja, empresas de fora poderão usar o espaço do CLA para realizar seus lançamentos. Vale lembrar que o local de instalação do centro tem um grande destaque positivo para a realização de lançamentos.

Neste ano a AEB (Agência Espacial Brasileira) fez um chamamento público para as empresas que pudessem se interessar para o uso do espaço do CLA. E o primeiro lançamento a partir do centro de Alcântara está previsto para 2021. 

 

CLBI (Centro de Lançamento da Barreira do Inferno)

Outro centro de lançamento que temos no Brasil é o da Barreira do Inferno, sediado na cidade de Natal-RN.

O CLBI nasceu em 1965 sendo assim a primeira base de lançamentos do Brasil, bem como da América do Sul.

No centro são concentrados os lançamentos de pequenos e médios veículos, e o primeiro lançamento aconteceu em 1965, no mesmo ano de sua inauguração. O estreante foi um foguete sonda dos EUA, conhecido por Nike Apache.

Foto: FAB

Os lançamentos ocorrem no CLBI desde sua criação, lançamento estes dos mais variados desde sondagem meteorológicas até veículos de quatro estágios.

O CLBI tem uma grande presença militar inclusive das demais forças o que significa que tem uma coletividade de ideias entre os militares.

Neste centro também funciona a central de rastreamento do foguete francês Ariane V, que é lançado do Centro Espacial de Kourou, Guiana Francesa.

Foto: FAB

DEIXE UMA RESPOSTA