Imagem: De Havilland/Divulgação.

A De Havilland e a PAL Aerospace assinaram um memorando a fim de desenvolver e oferecer uma versão de patrulha marítima do turboélice regional Dash 8-400 para a Força Aérea Real da Malásia. 

A nova variante já é chamada de Dash 8 P-4. “O espaço considerável da cabine, a capacidade de carga útil, o perfil de velocidade da melhor classe e a economia operacional vantajosa da plataforma Dash 8‐400 fornecem uma base ideal para lançar o programa Dash 8 P‐4” afirmou Jake Trainor, chefe executivo da PAL Aerospace, empresa canadense especializada na modificação de aeronaves. 

A companhia, que também oferece suporte aos C295 da Força Aérea Real Canadense, já havia assinado um contrato com a francesa Thales para uma versão de ISR (Inteligência, Vigilância e Reconhecimento) do Dash 8-300, afirma a Flightglobal.

As duas empresas afirmam acreditar na existência de “um mercado global significativo para aeronaves turboélice militarizadas, especialmente no mercado de patrulha marítima e ISR.” 

A PAL e a De Havilland também afirmam que a aeronave pode receber tanques extras, aumentando o alcance e autonomia do aparelho. O avião poderia ter uma capacidade ficar no ar, em missão, por até 8 horas. 

A aeronave se tornaria concorrente direto do ATR-72MP e do C295MPA Persuader, este último inclusive em serviço na Força Aérea Brasileira como aeronave de busca e resgate. 

O anúncio do P-4 vem pouco tempo depois da De Havilland afirmar que irá pausar a produção do Dash 8 por conta dos efeitos da atual pandemia. A fabricante também afirma que irá se mudar das atuais instalações de Downsview, bairro da zona norte de Toronto.