Airbus A321XLR
Foto: Airbus

Recentemente a Airbus apresentou o primeiro A321XLR, a versão de longuíssimo alcance do conhecido A321neo. A instalação dos motores e a pintura ocorreram rapidamente nos primeiros meses de 2022, contudo, o projeto está atrasado.

Uma publicação recente da Airbus apontou que a “entrada em serviço” do A321XLR atrasará em aproximadamente um ano, de 2023 para 2024. As informações foram compartilhadas por uma fonte à Reuters.

O primeiro voo do A321XLR continua programado para 2022, no entanto, a Airbus precisará fazer um retrabalho na parte inferior da fuselagem, por risco de incêndio em caso de pouso de barriga. Os problemas foram apontados pela Boeing no ano passado, em um questionamento à EASA.

As negociações estão ocorrendo em conversas com a EASA, e as modificações na fuselagem e carenagens deverá acrescentar de seis a nove meses, no cronograma de certificação.

“Um tanque de combustível integral da fuselagem exposto a um incêndio externo, se não for adequadamente protegido, pode não fornecer tempo suficiente para o passageiros para evacuar a aeronave com segurança”, disse a EASA.

A fuselagem contém a nova parte diferencial do A321XLR: o tanque traseiro central especial (RCT) produzido pela Premium Aerotec.

O RCT armazena os 12.900 litros de combustível extras de combustível, o que possibilita voos de até 8700 km de distância com esta aeronave. A parte inferior da fuselagem do XLR também conta com um tanque residual maior para voos extralongos.

Com as mudanças de design e do novo tanque, o Airbus A321XLR promete ter um alcance de 8.700km, sendo 15% maior que o seu irmão A321LR. O novo avião é muito aguardado por diversas empresas que planejam voar mais longe com uma aeronave mais eficiente, e talvez até alcançar mercados novos. 

Há mais de 500 encomendas ativas para o A321XLR atualmente. Nesta semana a Qantas foi mais uma que escolheu o A321XLR.