Embraer é a única fabricante que não teve pedidos cancelados

Foto - Embraer/Reprodução

Durante uma conferência de anúncio de resultados nesta segunda-feira (1º/06), a Embraer destacou que nenhum cliente da companhia cancelou pedidos para aviões da fabricante, ao contrário de outras empresas como a Airbus e Boeing.

Ao contrário, a Embraer assume que muitos clientes optaram por adiar entregas, pelo menos para 2021, e que a quantidade de aviões fabricados em 2020 deverá ser menor.

“Estamos negociando o adiamento de entregas, mas ainda não tivemos nenhum cancelamento”, disse o diretor financeiro da Embraer, Antonio Garcia. “Estamos trabalhando duro com nossos clientes para ajustar essas entregas.”

Durante o primeiro trimestre, a Embraer entregou cinco aeronaves comerciais, incluindo três E175, um E190-E2 e um E195-E2; embarcou 11 aeronaves no mesmo período do ano passado.

Boa parte da queda nas entregas foi devido ao acordo com a Boeing, que fez a Embraer fechar a sua produção por várias semanas em dezembro e janeiro, afetando as entregas no 1º trimestre. Logo depois, a crise iniciada em março diminuiu a demanda por novos aviões.

A Embraer espera que a demanda por jatos regionais continue forte à medida que o setor de aviação comercial começa a se recuperar.

“Os principais mercados das Américas e dos EUA estão reabrindo e estão usando jatos regionais menores”, afirma Garcia, acrescentando que as aeronaves regionais “liderarão o caminho”.


Garcia insiste que, apesar das entregas fracas, a Embraer permanece financeiramente forte, com dinheiro disponível.

“A liquidez da empresa permanece sólida, apesar de todas essas adversidades … Nosso perfil de dívida é muito confortável”, disse ele, observando que a Embraer não possui pagamentos de dívida “importantes” antes de 2022. “Temos linhas de crédito adicionais disponíveis”.

A Embraer encerrou março com caixa e equivalentes avaliados em US$ 2,4 bilhões.

 

DEIXE UMA RESPOSTA