Estudo de Harvard afirma que é seguro voar durante a pandemia

Foto: Paul Herman Voo quase vazio DL430 de Nova York (JFK) para São Francisco em 10 de março de 2020

Um estudo feito pela Universidade de Harvard sobre viajar durante a pandemia está seguro. O estudo foi feito com base também nos cuidados que as companhias aéreas estão providenciando durante todo o momento que o passageiro estiver nos aeroportos e abordo de aeronaves.

O documento feito por Harvard reforça que para estar seguro em viagens, as companhias aéreas e os passageiros precisam seguir a risca todos os cuidados já implementados. O uso de máscaras faciais que tampam nariz e boca, limpeza profunda em todas as partes da aeronave, protocolos de distanciamento social e verificação das condições de saúde.

“O risco de transmissão de SARS-COVID-19 a bordo (reduz-se) abaixo de outras atividades de rotina durante a pandemia, como fazer compras no mercado ou comer fora.” Segundo o artigo de Harvard.

O artigo também propõe soluções eficazes em base três pilares: ventilação, limpeza e gerenciamento do distanciamento social. As companhias aéreas instalaram em suas aeronaves o filtro Hepa, que realiza a troca de ar de forma eficaz e contínua dentro da cabine de passageiros.

Os filtros HEPA eliminam 99,99% das bactérias em partículas, o que inclui também os vírus. A descoberta que o Covid-19 pode permanecer vivo em plásticos duros, faz com que a limpeza dos assentos, braços dos assentos, telas de entretenimento, bin das aeronaves entre outros sejam repetitivamente feitas e com bastante profundidade.

As companhias aéreas reforçaram todo o estoque de produtos novos e eficazes para a limpeza das aeronaves. Além disso as equipes que realizam essa limpeza, foram amplamente capacitadas para que nada passe despercebido. 

“A implementação das estratégias de mitigação de risco em camadas descritas neste relatório requer conformidade do passageiro e da companhia aérea. Isso ajudará a garantir que as viagens aéreas, com relação à transmissão SARS-COVID-19, sejam tão seguras ou substancialmente mais seguras do que as atividades de rotina que as pessoas realizam durante esses períodos. ” Segundo o documento de Harvard.


O Jornal de Harvard reforça ainda que os passageiros necessitam fazer sua parte em obedecer todas as regras impostas dentro e fora das aeronaves. Todos os cuidados ao utilizar a máscara, lavar as mãos e utilizar o álcool em gel garantem a eficaz juntamente com os cuidados de limpeza e distanciamento.

O Jornal de Harvard disse ainda que os passageiros que não seguirem as regras e protocolos deverão ser colocados em listas de exclusão de viagens. Uma das empresas que mais reforçam que voar é seguro, é a Delta Airlines.

A companhia divulgou um comunicado após a divulgação do resultado da pesquisa de Harvard. A Delta reforçou que mantem todos os cuidados necessários e continua atenta a todas as novidades e mudanças diante do Covid-19. 

“Até o momento, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças não confirmaram um único caso de transmissão COVID-19 em um avião dos EUA”, a Delta Airlines em comunicado ontem (27/10).

 

DEIXE UMA RESPOSTA