MQ-9B SeaGuardian, modelo aprovado para venda à Austrália. Foto: Ted Carlson/GA-ASI.

O Departamento de Estado dos EUA, através da Agência de Cooperação de Segurança e Defesa, aprovou a venda de doze UAV (aeronaves não-tripuladas) MQ-9B SeaGuardian para a Austrália, em um contrato avaliado em US$ 1.651 bilhão. 

Além dos drones, o acordo prevê o fornecimento de radares de abertura sintética Lynx AN/APY-8, radares Leonardo/Selex SeaSpray 7500, bombas Mk.82 inertes, kits de guiagem Paveway II, equipamentos para encriptação de dados e comunicação segura, versões de treinamento do míssil ar-solo AGM-114 Hellfire, e demais artigos. 

O comunicado também aponta que os EUA fornecerão apoio logístico, treinamento, documentação e suporte técnico. 

Fabricado pela General Atomics Aeronautical Systems (GA-ASI), o MQ-9B é a versão de patrulha marítima do do MQ-9 Reaper. A aeronave tem oito horas de autonomia, com um alcance de 2200Km, podendo vigiar grandes porções do oceano. 

Em janeiro desse ano, a GA-ASI anunciou que o radar SeaSpray 7500, de origem italiana, seria integrado ao drone. As novas aeronaves serão usadas pela Força Aérea Real Australiana.

MQ-9B SeaGuardian. Foto: General Atomics.