Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Germán José Efromovich Avianca
Foto - EFE

Os irmãos Germán e José Efromovich antigos donos da Avianca e atuais controladores do estaleiro Eisa, foram absolvidos pela Justiça do Distrito Federal nesta última quinta-feira (16) no processo da Lava Jato, eles foram acusados por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Uma investigação foi iniciada em setembro de 2020, quando um esquema de pagamento de propinas em contratos para a construção de navios em nome das empresas dos irmãos foi investigado. 

Os irmãos Efromovich foram absolvidos através da sentença dada pelo Juiz Marcus Vinicius Reis Bastos da 12ª Vara Federal Criminal do DF. O Juiz disse que as denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal não apresentam provas concretas que tanto Germán tanto José teriam cometido os crimes. 

Além disso, o Juiz afirmou ainda que o conteúdo apresentado ultrapassa os limites da delação premiada promovida por Sérgio Machado que é ex-presidente da Petrobrás. Os irmãos Efromovich tiveram a prisão preventiva decretada durante a 72ª fase da investigação da Lava Jato ocorrida em agosto de 2020. Os dois foram soltos três meses depois.

Na denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal, os irmãos Efromovich foram acusados de pagar propina no valor de R$ 40 milhões para alguns executivos da brasileira Petrobrás em troca de favorecimento para a empresa dos irmãos.

A defesa dos irmãos representados pelo Advogado Rodrigo Mudrovitsch, afirmou que houve um contrato de empréstimo entre as empresas aconteceu, porém com todos os trâmites ocorridos legalmente e sem crimes ou irregularidades cometidas. O Advogado reforçou ainda que todas as clausuras foram de acordo com as regularidades do mercado no momento do acordo, afim de proporcionar as melhores condições para as empresas. 

Os irmãos Efromovich controlavam a Avianca e a Avianca Brasil através do Grupo Synergy, no qual a parte brasileira deixou de existir e no mesmo ano o braço colombiano do grupo foi repassado a outros controladores. 

 

 

Fonte: Jornal Extra

 

DEIXE UMA RESPOSTA