Ex-Executivo da United arrecada US$ 125 milhões para montar nova companhia aérea

United Airlines

(Bloomberg) – Uma nova companhia aérea de baixo custo criada por um ex-executivo da United Airlines levantou US$ 125 milhões em financiamento e planeja iniciar os voos comerciais antes do final do ano.

A nova empresa, operando como Houston Air Holdings Inc., está “se preparando para transformar essa pequena companhia aérea que compramos”, disse Andrew Levy, ex-CFO da United Airlines, em entrevista nesta última quarta-feira (12).

A estratégia é oferecer voos sem escalas de aeroportos secundários para mercados de médio e grande porte, disse Levy. O projeto é a segunda nova companhia aérea dos EUA que planeja iniciar voos em 2020, além dessa temos um projeto de David Neeleman, a Breeze Airways.

“Vamos crescer a um ritmo ideal”, disse Levy, co-fundador da Allegiant Travel Co. , especializada em viagens de turismo. “Vamos construir a empresa um pouco como a Allegiant, lenta e constantemente”, com uma base de “muito mais capital do que pensamos que precisaremos”.

A empresa operará com aeronaves Boeing 737-800, assim como a United, a primeira aeronave já chega na próxima semana, derivada de um leasing pela GECAS. Todos serão configurados com a capacidade máxima, 189 assentos, apontando o apetite da nova empresa para o mercado Low Fare.
 

 

A empresa quer ser o inverso da Breeze

Levy está adotando uma atitude diferente de David Neeleman, fundador da JetBlue Airways, que planeja estrear sua nova Breeze Airways no final deste ano usando aeronaves Embraer E195 arrendadas da Azul SA.

Neeleman também planeja adicionar aviões A220 da Airbus, a partir de 2021.


Ambas as operadoras se concentrarão nos mercados que consideram carentes de serviços aéreos adequados após a consolidação das companhias aéreas dos EUA na última década. Mas enquanto a Breeze planeja realizar voos de longa distância usando o alcance do A220 em rotas sem concorrência ininterrupta, a Levy’s está focada em rotas de menor distância que conectam aeroportos menores aos mercados domésticos de turismo.

“A melhor maneira de competir no setor aéreo é não competir”, disse Levy, que também foi diretor na Copa Holdings SA. “Acho que foi o que fizemos na Allegiant e é o que estamos procurando fazer aqui.”

Neeleman prometeu investir US$ 50 milhões em seu próprio dinheiro na Breeze. Ele estima que a companhia exigirá US$ 65,6 milhões nos primeiros três meses de operações regulares, mais US$ 45 milhões por custos antes de iniciar o serviço.

Levy deixou a United Airlines Holdings Inc. em maio de 2018 para trabalhar na formação de uma nova companhia aérea. Três meses depois, ele comprou a XTRA Airways Inc. , uma companhia aérea que realiza voos fretados a partir da Flórida.

A controladora da XTRA havia vendido a maior parte de sua frota à Swift Air, mas manteve um Boeing 737-400 para manter sua certificação pela FAA.

“Não estamos procurando dominação mundial aqui”, disse Levy. “Trata-se de oferecer opções e tirar proveito de um mercado em que a estrutura tarifária é relativamente alta”.

 

Fonte: Bloomberg (com alterações da Aeroflap)

DEIXE UMA RESPOSTA