Cerca de 165 aviões 737 NG, dos 1911 que estão registrados nos Estados Unidos, terão que passar por inspeções para verificar possíveis trincas estruturais.

A FAA, Administração Federal de Aviação dos EUA, solicitou que as companhias dos Estados Unidos que utilizam o 737 NG, a geração anterior, façam uma análise das asas de suas aeronaves, para descobrir possíveis rachaduras.

Esses 165 aviões estão com mais ciclos de uso, e devem ser inspecionados nos próximos 7 dias, obrigatoriamente. A agência disse que as inspeções podem ser feitas visualmente e requerem cerca de uma hora.

O pedido exige que as companhias aéreas, dentro de sete dias a partir de 03 de outubro, inspecionem as aeronaves que acumularam mais de 30.000 ciclos de voo. As aeronaves que registraram entre 22.600 e 29.999 ciclos devem ser inspecionadas dentro de 1.000 ciclos adicionais, diz o pedido.

Cada ciclo equivale a uma decolagem e um pouso.

“Os relatórios de inspeção exigidos por esta DA permitirão ao fabricante obter uma melhor compreensão da natureza, causa e extensão das trincas e, eventualmente, desenvolver uma ação final para lidar com as condições inseguras”, disse a diretriz da FAA.

A rachadura a ser analisada está em uma área que realiza a junção da asa com a fuselagem da aeronave.

A FAA disse que a Boeing notificou a agência do problema depois de encontrar o problema em um avião na China, e que as inspeções subsequentes mostraram que outros aviões também tinham rachaduras.

A Boeing já tem um planejamento e métodos de reparo para essa parte estrutural.

“Nos próximos dias, trabalharemos em estreita colaboração com nossos clientes para implementar um plano de inspeção recomendado para determinados aviões da frota”, disse a Boeing em nota.

Outras agências ainda não declararam se vão obrigar inspeções obrigatórias em aviões do modelo 737 NG.