Embraer ERJ-145
Foto - Divulgação

Após a emissão de uma diretriz de aeronavegabilidade pela ANAC do Brasil, a FAA decidiu seguir a agência brasileira e também solicitar a correção de um problema no trem de pouso dos aviões Embraer ERJ 135 e 145.

De acordo com a FAA, a companhia precisará inspecionar todos os componentes estruturais dos trens de pouso principal do ERJ 135 e 145, incluindo o conjunto de rolamentos das rodas.

Esse reparo é derivado de um incidente que ocorreu com um ERJ, envolvendo a desconexão de um braço lateral do trem de pouso principal direito. A investigação notou que um rolamento inferior do braço lateral foi instalado de forma invertida, causando o problema.

A instalação invertida do rolamento também pode resultar no travamento do trem de pouso principal abaixado, durante um voo.

“Outras inspeções encontraram uma recorrência de instalações dessas peças invertidas em outros aviões, bem como outras instalações impróprias”, acrescenta a FAA em documentos regulatórios.

Desta forma, se os mecânicos encontrarem problemas, precisarão substituir o componente de acordo com os manuais mais recentes emitidos pela Embraer.

A ANAC emitiu essa DA no Brasil por conta da fabricante Embraer ter sede no país, no entanto, o documento atinge poucas aeronaves brasileiras. Ao contrário, o DA emitido pela FAA atinge mais de 300 aviões ERJ 135 e 145 que atualmente estão operando nos Estados Unidos, onde o avião regional ainda faz muito sucesso, após mais de 20 anos do seu lançamento.

 

Com informações de FlightGlobal.