A Finnair declarou recentemente que tomará o mesmo caminho da Air Canada com seus aviões Boeing 777-300ER, convertendo uma cabine de passageiros em um plano piso para transportar somente carga, pelo menos de maneira temporária.

Porém, a companhia planeja fazer isso utilizando dois de seus aviões Airbus A350, para aumentar a sua capacidade de transportar suprimentos da Ásia para a Europa, no meio da pandemia de COVID-19.

A medida ajudará a aumentar a capacidade de transporte de suprimentos médicos de emergência, incluindo amostras de coronavírus, entre a Finlândia, a Estônia a partir de fornecedores na Ásia.

A companhia aérea planeja esta semana operar mais de 10 vôos de carga A350 de retorno para Osaka e Tóquio no Japão, Seul na Coreia do Sul e Guangzhou e Xangai na China.

A Finnair não divulgou a capacidade máxima de carga do A350 sem os assentos, visto que há um limite de peso por seção do avião, e o próprio balanceamento e volume da carga limitam a quantidade que pode ser transportada.

 

Conversão da Air Canada

Enquanto muitas companhias optam por levar caixas acima dos assentos, a Air Canada liberou todo o interior da aeronave para transportar caixas.


A companhia removeu 422 de 450 assentos da parte interna da aeronave, especificamente tirando toda a Economy e Premium Economy, e liberou espaço para o transporte de até 89 toneladas de carga na parte superior, além de até 40 toneladas nos porões.

 

O espaço permite o transporte adicional de caixas com 9 milhões de máscaras de proteção. Toda a carga será fixada no local com redes especiais, travadas no piso do avião.

Como o A350-900 da Finnair é uma aeronave de tamanho similar (veja bem, aproximado) ao 777-300ER, a capacidade de transportar carga também deve ser alta quando os assentos são retirados.

 

DEIXE UMA RESPOSTA