Aconteceu ontem (27/10) na ALA-1, em Brasília (DF), o Workshop da aeronave Gripen F-39E, o evento contou com a presença das seguintes autoridades, Presidente da República, Jair Bolsonaro, o Vice-presidente Hamilton Mourão, Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva e o Comandante da Aeronáutica, Antonio Carlos Moretti Bermudez, além de demais autoridades civis e militares.

Comandante da Aeronáutica Antonio Carlos Moretti Bermudez

No início do Workshop todos foram surpreendidos com a aparição do Gripen F-39E que estava de trás de uma cortina. O caça está em Brasília desde o dia 17 e na última sexta-feira (23), o caça foi apresentado oficialmente durante a cerimônia do dia do aviador (matéria sobre ao final).

View this post on Instagram

Não basta ser apresentado somente uma vez…Então vamos de bis! Gripen F-39E!

A post shared by Aeroflap (@aeroflap) on

 

Força Aérea Brasilera:

Após a surpresa, se deu início ao Workshop, o primeiro a falar foi o Major-brigadeiro Malta, presidente da comissão coordenadora do programa aeronave de combate (COPAC). Em sua apresentação o major Malta relatou alguns passou do Programa FX2, mostrando assim em um gráfico a trajetória do programa desde a aposentadoria dos Mirages F-2000 em 2013, passando por todas as etapas do processo envolvendo o Gripen, finalizando com a entrega do último dos 36 aviões que está prevista para 2026.

Projeto FX2- Gripen- Foto: Aeroflap

No gráfico acima é possível ver que já em 2021 as quatro primeiras unidades operacionais do Gripen chegam ao país e no mesmo ano começa a desativação dos F-5EM/FM.


O major Malta ainda relembrou a importância da aeronave A-1 AMX, o projeto binacional entre a Itália e o Brasil foi crucial para ampliar as capacidades dos militares e técnicos brasileiros. Em relação aos caças A-1 AMX a desativação dos mesmos está prevista para começar em 2024.

 Já no gráfico abaixo mais detalhes foram mostrados, como por exemplo o tempo de produção de cada aeronave, a produção independente, configurações distintas e a produção local do Gripen, sendo que dos 36 caças, 13 serão produzidos na Suécia, oito começam ser produzidos na Suécia e são finalizados no Brasil e por fim, 15 serão totalmente construídos no Brasil.

Gráfico Gripen- Foto: Aeroflap

“Ao final do programa Gripen a indústria aeronáutica brasileira tem que estar transformada”, disse o major Malta sobre o fator transferência de tecnologia.

Major Malta presidente da COPAC

 

Embraer:

O Presidente da Embraer Defesa & Segurança, Jackson Schneider, relatou a parceira dos projetos da empresa no setor de defesa com o Exército Brasileiro, Marinha do Brasil e claro, com a Força Aérea Brasileira.

Schneider disse que a Embraer vai estar envolvida com os seguintes projetos, desenvolvimentos de estruturas, integração, simuladores, testes de voos, montagem, final, ciclo completo desse produto (Gripen NG) produzido e mantido no Brasil.

Presidente da Embraer Defesa & Segurança, Jackson Schneider

O presidente Schneider reforçou o compromisso da Embraer em estar envolvida na montagens final dos oito caças Gripens e na montagem completa de 15 unidades do caça, além disso, foi dito que estão previstos quase 1.000 testes que envolvem a certificação, teste de envolvimento e a missão e de integração de armamento. Tudo isso vai acontecer no Centro de Ensaio de voo do Gripen NG na planta de defesa da Embraer, em Gavião Peixoto-SP. 

A integração do KC-390 junto ao Gripen também foi ressaltar por Schneider, que se diz confiante que a aeronave esteja voando não somente no Brasil.

Close na parte lateral frontal do KC-390, notar o probe de reabastecimento

“Eu tenho a certeza que em pouco tempo ele (KC-390) vai estar apoiando as aeronaves Gripens NG na Suécia e em outros países”, disse Schneider.

Além da Embraer, outras empresas brasileiras estão envolvidas no desenvolvimento do Gripen, são elas: Atech, Akaer, AEL Sistemas e as empresas SAAB do Brasil.

 

SAAB:

Caças SAAB Gripen E- Foto/Divulgação: SAAB

O CEO e presidente da SAAB, Michael Johansson, também falou durante o Workshop, Michael disse que ficou muito feliz com o evento de sexta, em “ver o Gripen voando em céus brasileiros”.

Michael reforçou a entrega de quatro unidades já no ano que vem, bem como afirmou que a cooperação com o Brasil foi a maior transferência de tecnologia já feita pela SAAB para um outro país.

CEO e presidente da SAAB, Michael Johansson

O CEO da SAAB ainda lembrou os técnicos e engenheiros brasileiros que fizeram o curso na Suécia e já estão prontos no Centro de Gavião Peixoto. “O Brasil vai ser nosso centro de excelência”, disse Michael Johansson.

“Nossos fizemos muitos testes antes de se chegar ao final e isso vai ser feito no Brasil e isso é incrível”, enfatizou.

“A FAB está ajudando muito nas negociações de uma possível venda de caças Gripens para a Colômbia”, finalizou Michael Johanssan.

Michael elogiou o papel da empresa brasileira AEL Sistemas que desenvolveu a tela única WAD que vai equipar não só os caças Gripens NG do Brasil, mas também os suecos.

Tela WAD de produção nacional que será instalada nos Gripens- Foto: AEL Sistemas, Gilmar Gomes

Ao final o Ten. Brigadeiro Bermudez procedeu as palavras finais do Workshop do Gripen. Em suas palavras o Comandante da Aeronáutica disse que “o projeto Gripen F-39 não é exclusivo da Força Aérea Brasileira, o F-39 é um projeto do Brasil”.

Caça Gripen F-39E

 

 

 

Acesse nossa matéria especial sobre a apresentação do F-39E:

 

Fotos e Vídeos: Gripen F-39E é apresentado oficialmente no Dia do Aviador

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA