Bandit drone USAF aggressor
Chamado de Bandit, o drone de alto desempenho servirá como inimigo em treinamentos de combate aéreo. Imagem: Blue Force Technologies - Divulgação.

O Laboratório de Pesquisas da Força Aérea dos EUA (AFRL) e a start-up aeronáutica Blue Force Technologies estão desenvolvendo um novo drone para servir de adversário em treinamentos de combate aéreo.

A Diretoria de Sistemas Aeroespaciais do AFRL concedeu um contrato de Pesquisa de Inovação para Pequenas Empresas (SBIR) à Blue Force para o desenvolvimento do drone Bandit. O veículo aéreo não tripulado vai apoiar as missões de treinamento, servindo como o inimigo no combate simulado. 

O contrato do programa Bandit é resultado de uma proposta de Financiamento Estratégico (STRATFI) selecionada pela AFWERX. Com um valor inicial de US$ 9 milhões, o documento também contempla opções para concluir o projeto e a construção de até quatro drones.

A Blue Force Technologies, uma pequena empresa aeroespacial e de defesa com sede na Carolina do Norte, amadurecerá um projeto do drone de alto desempenho, para que os pilotos de caças da Força Aérea possam enfrentá-lo em treinamentos. 

O Bandit é parte de um sistema baseado em autonomia, que fornece treinamento aéreo adversário para pilotos de caça da Força Aérea, Marinha e Corpo de Fuzileiros Navais, a custos bastante reduzidos em comparação com as atuais aeronaves tripuladas.

Atualmente, estas organizações empregam aeronaves de caça próprias ou de empresas contratadas para desempenhar o papel do inimigo em treinamentos de combate aéreo. Os caças usados assim são chamados de “aggressor” ou “adversary”.

F-16 aggressor usaf
Um F-16C do 18º Esquadrão Aggresor sobrevoando a Base Aérea de Eielson. Foto: Staff Sgt. Christopher Boitz/USAF.

O esforço de 12 meses irá amadurecer o design do veículo para um nível crítico de projeto, realizar testes de motor em solo e validar o projeto da instalação do motor. Todo esse processo ocorre sob orientação técnica de especialistas do AFRL.

Se as opções contratuais foram aplicadas, o AFRL e a Blue Force completarão as tarefas de projeto e engenharia e produzirão até quatro drones, devendo concluir os testes iniciais de voo.

Alyson Turri, gerente do AFRL para o programa Bandit, diz que “esses pequenos sistemas adversários não tripulados podem voar em cenários de treinamento para que os pilotos de caça possam treinar contra adversários taticamente relevantes em números representativos de ameaças. O objetivo é desenvolver uma plataforma não tripulada que se pareça com um quinto adversário de última geração com capacidades de veículo semelhantes.”

O programa Bandit visa fornecer uma solução de veículo aéreo para a capacidade ADAIR não tripulada que, quando integrada com autonomia, cargas úteis de missão e sensores, revolucionará a missão de treinamento aéreo adversário, além de fornecer oportunidades importantes para os pilotos interagirem com os sistemas não tripulados em um ambiente de treinamento. 
 
O trabalho do SBIR com a Blue Force Technologies começou em 2019 e cobriu o desenvolvimento de requisitos iniciais, projeto de veículo, análise e construção de um artigo de teste estrutural que suporta ADAIR não tripulado.
 
A AFRL está coordenando o programa Bandit com o Comando de Combate Aéreo (ACC) da USAF e alinhou o esforço de desenvolvimento do veículo em apoio à capacidade ADAIR não tripulada.

O Comandante do ACC, General Mark Kelly, abordou a necessidade de abordagens alternativas para missões aéreas dispendiosas do adversário nos Dias da Indústria do Ciclo de Vida do Centro de Gerenciamento do Ciclo de Vida da Força Aérea em agosto de 2021