APG-79(V)4 protótipo sendo instalado no F/A-18 Hornet. Foto: Raytheon.

A Raytheon entregou o primeiro protótipo do novo radar AESA (varredura eletrônica ativa) APG-79(V)4 para o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (USMC) no dia 29 de abril. O sensor será equipado nos caças F/A-18C/D Hornet. A entrega do protótipo do radar permite o teste de voo antecipado e a conclusão da integração dos sistemas de armas na plataforma Hornet.

O APG-79(V)4 é uma versão em escala do radar APG-79 já usado nos F/A-18E/F Super Hornet, compartilhando a tecnologia e um grande número de peças usadas na versão anterior. Sua maior diferença é o uso de módulos de transmissão/recepção de nitreto de gálio (GaN), aumentando a velocidade de operação do sistema, e permitindo uma maior distância de detecção e rastreio de aeronaves inimigas. 

A novidade também representa o primeiro uso do GaN em um radar de controle de fogo dos EUA. O APG-79(V)4 é muito mais ágil e capaz que o APG-73 atualmente em uso nos Hornets.

Radar AN/APG-73.

As capacidades aprimoradas de mira do radar fornecem uma vantagem em operações cruciais, incluindo missões ar-ar, ataque marítimo e ar-superfície, afirma a fabricante. 

“As tripulações devem ter acesso à novas ferramentas para oferecer suporte à prontidão”, disse Eric Ditmars, vice-presidente de Soluções de Sensores Seguros da Raytheon Intelligence & Space.

“A atualização para o radar AESA oferece maior confiabilidade e sustentabilidade para o cliente, o que equivale a menores custos de manutenção e reparo e maior disponibilidade de aeronaves.”

Segundo a Raytheon, os primeiros 25 radares AESA de produção serão entregues ao USMC a partir de dezembro de 2021, como parte do contrato de produção de US$ 83,6 milhões concedido à fabricante no ano passado. 

Radar APG-79(V)4. Foto: Raytheon.