O falecido Brian Rowe com o GE90. Rowe liderou a GE Aviation de 1979 a 1993 e lançou vários novos motores a jato, incluindo o CF34, o CF6-80C2, o motor de caça F110 e o GE90.

A GE Aviation pretende reduzir sua força de trabalho nos EUA em 10%, e conceder licença para 50% dos trabalhadores de MRO por 90 dias, em resposta ao colapso da demanda de viagens aéreas causada pelo surto de coronavírus.

Lawrence Culp, executivo-chefe da controladora General Electric, anunciou os cortes em uma carta em 23 de março aos funcionários. A GE Aviation é uma das primeiras grandes empresas aeroespaciais a anunciar publicamente demissões significativas devido à pandemia de coronavírus.

A GE Aviation não especificou imediatamente quantos funcionários são afetados pelas mudanças ou quando a redução da força de trabalho será competitiva.

Globalmente, a empresa empregava 52.000 trabalhadores no final de 2019, de acordo com um documento financeiro de 2019. A GE Aviation fabrica o turbofan GEnx, que é uma opção no Boeing 787, além do GE9X para o 777X. Também é parceira da CFM International, fabricante de turbofans da série Leap, que alimentam aeronaves da família 737 MAX e Airbus A320neo.

“O setor de aviação está sentindo o impacto dessa pandemia global de maneira mais aguda”, escreve Culp. “A rápida contração das viagens aéreas resultou em uma redução significativa na demanda, uma vez que as linhas aéreas comerciais suspendem rotas e aterram grandes porcentagens de suas frotas. Como resultado, a GE Aviation está anunciando várias etapas que, embora dolorosas, preservam nossa capacidade de adaptação à medida que o ambiente continua evoluindo.”

A GE Aviation diz que apoia um pedido da indústria de fabricação aeroespacial em geral de bilhões de dólares em ajuda do governo federal dos EUA. Um pacote de resgate ainda está sendo elaborado no Congresso dos EUA.

Além disso, Culp renunciará ao seu salário restante em 2020 e o executivo-chefe da GE Aviation, David Joyce, desistirá da metade de seu salário, diz Culp.


A GE espera que os cortes de empregos, licenças e outras ações economizem para a empresa entre US$ 500 milhões e US$ 1 bilhão em 2020.

Além disso, a GE também enfrenta um problema na fabricação de motores Leap-1, que teve a demanda reduzida após a Boeing parar a produção do 737 MAX.

 

DEIXE UMA RESPOSTA