Gol Montevidéu Smiles
Foto: GOL/Divulgação

A GOL Linhas Aéreas passou a exigir nesta segunda-feira (1º/11) dos seus funcionários a vacinação completa com qualquer imunizante contra a Covid-19. Os trabalhadores que não se adequarem ao regulamento interno serão demitidos, de acordo com a empresa.

A companhia disse que está rotineiramente, e desde junho, enviando e-mails incentivando a vacinação dos seus funcionários. Isso garante a segurança dos passageiros da companhia, e também as operações regulares da GOL, principalmente no momento que os voos internacionais estão sendo retomados.

Ao longo dos meses de setembro e outubro, a GOL intensificou ainda mais a sua campanha interna de conscientização e estímulo à vacinação, reforçando junto a todos os funcionários a importância da imunização. Mais de 99% dos funcionários estão atualmente vacinados com duas doses do imunizante contra a Covid-19.

Além da GOL, outras empresas como a Itapemirim, LATAM Brasil e VoePass também estão exigindo a vacinação completa dos seus funcionários.

Demissões de funcionários ainda não foram anunciadas pelas companhias aéreas nacionais devido a esses motivos. A porcentagem de trabalhadores vacinados no setor aéreo é considerada como excelente atualmente. 

Todas as companhias colaboraram com o transporte de milhões de vacinas gratuitamente para vários locais do Brasil, agilizando a logística e permitindo uma queda rápida no número de casos e mortes de Covid-19 no país.

Apesar da decisão da GOL, uma portaria publicada hoje (1º/11) proíbe a demissão de funcionários que se recusarem a tomar a vacina contra Covid-19. Esta norma foi assinada pelo ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, e está disponível no Diário Oficial da União (DOU).

 

DEIXE UMA RESPOSTA