Foto: Prefeitura de Maringá

O Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura, autorizou a contratação dos estudos para a elaboração do projeto básico para a modernização dos instrumentos e dos sistemas da torre de controle do Aeroporto Regional Silvio Name Junior, em Maringá (PR).

Convênio assinado pela Secretária Nacional de Aviação Civil (SAC/MInfra) e pela prefeitura da cidade prevê o repasse de R$ 10,4 milhões do Fundo Nacional de Aviação Civil (Fnac) para financiar estudos e obras.

As melhorias vão elevar os parâmetros de segurança operacional do aeroporto e aumentar a oferta de voos comerciais ao município paranaense, assim como permitir novas conexões à população.

Em janeiro deste ano o Aeroporto de Maringá atingiu 21 operações diárias com rotas para Curitiba, São Paulo, Campinas, Porto Alegre, Navegantes, Florianópolis, Cuiabá e Porto Seguro, as quais atendem a um público que busca o turismo tradicional e também o chamado turismo de negócios.

 

AMPLIAÇÃO DO AEROPORTO

Aeroporto de Maringá
Foto: Rafael Silva/Via Prefeitura de Maringá

O Aeroporto Regional de Maringá passou por uma reforma no ano passado, ganhando várias melhorias. O investimento foi de cerca de R$ 81,5 milhões, com recursos do Governo Federal.

A pista passou de 2,1 mil metros para 2.380 metros de comprimento, com 45 metros de largura. A modernização inclui o Sistema de Iluminação de Aproximação (ALS), balizamentos de led, entre outros.

O pátio foi ampliado e conta com 12 posições de estacionamento de aeronaves. Também foi reformada a Seção Contra Incêndio (SCI) do Corpo de Bombeiros.

Entre as próximas obras, está prevista a reforma do Terminal de Passageiros, além da instalação de fingers para melhorar e agilizar o embarque e desembarque, instalação de elevadores e escadas rolantes, entre outros equipamentos, mais que dobrando a área passando de 3,4 mil m² para 8 mil m², numa iniciativa da gestão Ulisses Maia.

Melhorias na torre de controle também deverão ser implantadas em breve. A superintendência trabalha ainda para o início das operações de aviões de cargas, o que depende de homologação da Receita Federal e trará mais negócios para a cidade.

“Tudo para transformar o aeroporto maringaense num dos mais modernos do Brasil, o que ajudará a impulsionar a economia da cidade, facilitando investimentos e novos negócios”, conclui Rezende.