Caças JAS-39C da Suécia voam com F-16C da Noruega. Foto: Saab.

Falando a um portal jornalístico filipino, o Secretário Delfin Lorenzana, que chefia a pasta da defesa do país asiático, afirmou que os F-16 Block 70/72 oferecidos pelos Estados Unidos são caros demais. Agora as Filipinas avaliam outra opção na forma do Saab Gripen sueco. 

Na quinta-feira passada (24), o Departamento de Estado dos EUA aprovou a venda de 12 caças F-16C/D, 48 mísseis ar-ar AIM-120 e AIM-9 e 12 mísseis anti-navio AGM-84 Harpoon, em um possível negócio avaliado em US$ 2,592 bilhões. No entanto, Lorenzana disse ao Inquirer, no dia 25, que a opção é cara: “Os EUA querem que compremos seus F-16. É muito caro, então a PAF (Força Aérea Filipinas) está avaliando outros”. 

A outra aeronave é o Gripen. Lorenzana disse que a PAF restringiu a escolha de caças multifunção entre o F-16 da Lockheed Martin e o Gripen da SAAB e uma decisão seria revelada “em breve”, afirma o portal. 

Caças JAS-39C/D da RTAF. Foto: Saab.

O Gripen já está presente no sudeste asiático na forma de 11 aeronaves JAS-39C/D da Força Aérea Real Tailandesa. O país, localizado a oeste das Filipinas, também opera os Saab 340 AEW&C, de controle e alerta aéreo antecipado. 

A fabricante sueca deve realizar duas ofertas ao Governo Filipino. Os JAS-39E/F, modelo cujo a FAB adquiriu 36 unidades, das quais as primeiras quatro operacionais serão entregues ainda neste ano, a versão mais moderna e capaz, ou os JAS-39C/D. É possível que a Saab também ofereça a transferência de tecnologia, aspecto que pesou na escolha brasileira e que também é ofertado para o Canadá e Finlândia. Nos dois países o Gripen concorre para substituir os F/A-18 Hornet. 

Mesmo mais antigos e menos capazes que a versão E/F, os Gripen Legacy são mais baratos e ainda são produzidos. Falando no Seminário Anual do Gripen, Jonas Hjelm, chefe de negócios aeronáuticos da Saab, disse que a empresa ainda não identificou uma data para interromper a promoção da nova produção do modelo em serviço. 

Um par de jatos JAS-39E da Força Aérea Brasileira e da Força Aérea Sueca. Foto: Saab.

Atualmente a PAF opera jatos FA-50PH Golden Eagle, de origem sul-coreana, e turboélices de ataque leve OV-10 Bronco e A-29 Super Tucano. Lorenzana disse que caças multifunção são uma “uma capacidade crítica para a defesa do espaço aéreo territorial de nosso país”
Ele também afirmou que a PAF espera que um acordo seja assinado antes que o presidente Rodrigo Duterte deixe o cargo no ano que vem.

F-16D Block 70 da Força Aérea Taiwanesa decolando com mísseis AIM-120, AIM-9 e AGM-84. Foto: South China Morning Post.

DEIXE UMA RESPOSTA