Grupo Fox F-39 Gripen FAB Saab
Composto por pilotos de F-5 e A-1, o Grupo Fox foi apresentado pela FAB em 2017. Imagem: Saab/Captura de tela.

Um seleto grupo de pilotos de caça é responsável pela implantação do F-39 Gripen no serviço operacional da Força Aérea Brasileira. Este é o tema do mais novo episódio da websérie Colaboração Real 4, produzida pela Saab. 

Formado por pilotos da 1ª linha da Aviação de Caça da FAB – composta pelos caças F-5M Tiger II e os jatos de ataque AMX A-1 -, o Grupo Fox foi revelado em 2017 pela própria FAB. Conforme relata o então Major-Aviador Bombarda, os pilotos do Grupo Fox trabalham em conjunto com os engenheiros da Saab para “dar uma cara brasileira” ao jato de origem sueca. 

“A gente entende que não basta só comprar um avião com mais capacidade, com mais funcionalidade, com novos equipamentos”, explica o oficial da FAB. 

Gripen FAB 4102 Santa Cruz Saab FAB F-39
Caças F-39 Gripen 4101 e 4102 foram oficialmente incorporados à FAB na cerimônia alusiva ao Dia da Aviação de Caça, na Base Aérea de Santa Cruz.

“Se a gente continuar operando esse avião da mesma forma que a gente operava os aviões anteriores, acaba que ele não traz toda a vantagem que a gente poderia obter dessas novas funcionalidades.”

Os pilotos do grupo são responsáveis pela coordenação e planejamento da implantação operacional do Gripen na FAB. O caça será inicialmente operado pelo 1º Grupo de Defesa Aérea, o Esquadrão Jaguar, na Base Aérea de Anápolis (GO). 

F-39E Gripen 4101 Saab wallpaper
F-39E 4101, o primeiro Gripen E de produção para a Força Aérea Brasileira. Foto: Saab.

Em abril, foi anunciado que a FAB adquiriu outros quatro Gripens, elevando para a 40 o número de aviões comprados. O Comandante da Aeronáutica explicou na época que esta ação permite que a FAB inicie os estudos para implantar o Gripen em outra base aérea, ainda a ser decidida pelo Alto Comando da instituição. 

Ao mesmo tempo, a FAB estuda a compra de um segundo lote de caças Gripen, com cerca de 26 aeronaves.