Airbus A350 Lufthansa Climática
Foto: Lufthansa

Com mais de 1.000 voos cancelados somente no início de junho, o Grupo Lufthansa anunciou que mais de 2.200 voos foram cancelados nos últimos dias em Munique e Frankfurt. 

Além da falta de funcionários, a Lufthansa e a Eurowings estão enfrentando fatores externos como eventos climáticos, baixas médicas e greves de funcionários em outros aeroportos. 

Contudo, a companhia disse que os 2.200 voos afetados correspondem a um total de 80.000, correspondendo a 5% das suas operações nos hubs de Munique e Frankfurt, mais especificamente, nos voos domésticos e intra-europeus. 

Com a atípica situação e a depender do destino, a Lufthansa está alocando os seus passageiros em outros meios de transportes, a empresa espera que em 2023 a alta demanda de passageiros e a oferta da companhia se normalize. 

Além da Lufthansa, outras empresas aéreas da Europa estão passando por problemas similares, principalmente pela falta de funcionários, incluindo também a disponibilidade operacional de aeronaves para dar conta do fluxo de passageiros.

Curiosamente, alguns aeroportos estão limitando o número de viajantes, a exemplo do aeroporto de Schiphol-Amsterdã, que limitará para 70.000 passageiros na cota diária do aeroporto. 

Tendo a opção de reativar aeronaves que estão inoperantes desde o pico da pandemia do coronavírus, a Lufthansa espera consolidar o seu plano de frota para os próximos anos, com a opção de utilizar o Airbus A380, frota atualmente estocada na França e Espanha.