Grupo Lufthansa vai acelerar entregas de aeronaves mais eficientes

Boeing 747-400. Foto - Ingrid Friedl/Lufthansa 060124_747VX_01

Recentemente publicamos sobre uma possível nova reformulação na frota da Lufthansa. A companhia já tinha optado pela aposentadoria completa dos seus aviões Boeing 747-400, e nesta semana falou sobre aposentar definitivamente o A380.

No entanto a Lufthansa fez uma nova série de adequações na sua frota, e de todas as companhias aéreas do grupo. Nesta a companhia buscou retirar qualquer indício de ineficiência no consumo de combustível.

Abaixo vamos listar algumas alterações de acordo com a companhia, para o melhor entendimento do público.

 

Lufthansa

A Lufthansa anunciou anteriormente a aposentadoria dos seus sete aviões Boeing 747-400, logicamente o conhecido jumbo quadrimotor. A companhia já operou com outros 23 aviões deste modelo, que já foram retirados antes da pandemia da frota.

Além disso, o anúncio recente da aérea fala sobre a aposentadoria de todos os 14 aviões Airbus A380 da sua frota. Neste ponto a Lufthansa decidiu seguir a Air France, e não voltar a operar com uma frota reduzida de aviões A380, como planejado anteriormente.

Mas a declaração de Carsten Spohr, CEO da Lufthansa, relata que apenas um modelo de aeronave quadrimotora continuará na frota: O Boeing 747-8i.

Aviões A340 da Lufthansa estocados durante a pandemia. Foto: Oliver Roesler – Lufthansa

Com isso, a Lufthansa também vai aposentar o A340-300 e o A340-600. Atualmente são 34 aviões destes modelos na frota, de acordo com a aérea, sendo 17 de cada modelo.


O Boeing 747-8i é conhecido por ser o mais moderno entre os quadrimotores. A aeronave foi lançada no final da década de 2000 pela Boeing, inspirado no 787.

lufthansa
Boeing 747-8i da Lufthansa é o único quadrimotor que continua na frota.

O 747-8i é equipado com motores de nova geração GEnx, que também equipam o 787 Dreamliner em outra versão. Boa parte dos 19 aviões que continuarão na Lufthansa foram fabricados após 2012, e ainda são considerados novos na frota.

Na Lufthansa o Boeing 747-8i é configurado com 364 assentos em três classes, com uma grande Business Class. 

Mais alterações

Anteriormente havia uma grande expectativa da própria Lufthansa receber novos aviões widebody do modelo Boeing 777-9X. No entanto, Carsten Spohr ressaltou que a passou a priorizar as entregas do Airbus A350, que a companhia já opera com 17 aviões, antes de começar a receber o 777X.

As entregas do A350-900 serão aceleradas, aproveitando o espaço de produção da Airbus e o fato de outras companhias recusarem aviões widebody neste momento. A chegada de novos A350 na frota será realizada em sincronia com a recuperação da demanda.

O 777X só chegará na Lufthansa em 2022. Antes a companhia esperava receber em 2020.

Spohr disse que o 777-9X deverá chegar na frota da companhia apenas em meados ou final de 2022, mesmo com uma unidade já fabricada pela Boeing. Não há problemas neste ponto, visto que a certificação do 777X deverá ocorrer no próximo ano, com entregas iniciando em 2022.

A companhia aérea alemã tinha anteriormente 34 encomendas firmes para o 777X, mas no meio da pandemia alterou seu pedido para 20 encomendas firmes e 14 intenções de compra.

 

Austrian Airlines

Se por um lado a Lufthansa postergou as entregas do 777X, a companhia deve manter as entregar do 787 Dreamliner. São 20 aviões de nova geração encomendados.

Essas aeronaves, no entanto, não devem operar diretamente na Lufthansa. Pelo menos inicialmente.

O Grupo Lufthansa planeja mover alguns desses primeiros aviões que devem chegar para a Austrian Airlines. Com isso o Boeing 787 Dreamliner substituirá nos próximos meses os aviões Boeing 767 e 777 da companhia austríaca.

Quando realizou a encomenda a Lufthansa apresentou o Boeing 787 nas cores da Austrian Airlines e da própria Lufthansa.

A Austrian Airlines tem 12 aeronaves Boeing 767-300ER e 777-200ER, sendo 6 de cada modelo. A Lufthansa planeja padronizar a frota de voos de longa distância utilizando o 787-9 Dreamliner.

Como destaque está a maior economia de combustível do Boeing 787 Dreamliner, que pode ser algo positivo para a companhia aérea. Um 787-9 pode ser até 10% mais eficiente em comparação com o 777-200ER, ou 25% em comparação com o A340-200 que esta aeronave substituirá na Lufthansa.

 

Outras unidades

Anteriormente o Grupo Lufthansa já havia divulgado uma reformulação operacional em outras unidades. A Swiss pode ter o A340 substituído pelo Boeing 787 Dreamliner após a reformulação da frota na Austrian Airlines, como ressaltou a Lufthansa em 2019.

Ao mesmo tempo a maior reformulação foi na Eurowings, realizada ainda em 2019, que passou a realizar apenas voos de curta e média distância com o Airbus A320. Os A330 e A340 foram imediatamente retirados da frota da Eurowings.

Para unificar ainda mais, a Lufthansa optou por fechar a Germanwings durante a atual crise, e unificar com as operações da Eurowings.

 

Detalhes:

 

DEIXE UMA RESPOSTA