Air Índia

O Grupo Tata vai fazer um empréstimo de aproximadamente US$ 3,02 bilhões para financiar as operações da Air Índia. O grupo que está em constante trabalho com o governo indiano, também está trabalhando para organizar as operações da empresa aérea sob sua administração.

Para gerir melhor todo esse processo, o Grupo Tata criou uma empresa subsidiária chamada Talace, que tem como principal função captar recursos junto aos bancos para financiar as operações da Air Índia. A Talace já estabeleceu algumas negociações com bancos, a transação deverá ter uma taxa de juros menor.

Além dos bancos, a Talace também está negociando com os atuais credores da companhia indiana para viabilizar uma redução da taxa de crédito, afim de facilitar a organização financeira da empresa.

Aproveitando da boa reputação, O Grupo Tata deverá conseguir empréstimos em condições boas e especiais, algo que geralmente bancos não buscam ceder com facilidade. Por outro lado, os credores também estão confiantes na reestruturação da Air Índia e devem fechar acordos até mesmo antes do final de 2021.

Do montante de US$ 3 bilhões, cerca de US$ 2,36 bilhões será utilizado para a compra da empresa, dentro deste valor também estão as transferências de dividas da empresa. Outros US$ 355 milhões serão repassados ao governo indiano pela compra, o restante do dinheiro será destinado à operação da Air Índia. 

Nos próximos anos o grupo controlador da companhia vai buscar realizar grandes investimentos para tornar a empresa eficiente. Entre as medidas está na modernização e ampliação da frota, revisão das rotas servidas dentro e fora do país.

Há um programa em curso que o Grupo Tata colocou como meta, em 100 dias a empresa irá ser completamente melhorada em relação as suas operações. Existem milhares de reclamações contra a Air Índia pela qualidade e pontualidade de seus serviços com passageiros, a partir da finalização da compra serão contados os 100 dias de mudanças na empresa.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA