A Hawaiian Airlines, juntamente com a Boeing, anunciou hoje uma intenção de compra para 10 aeronaves 787-9, em um contrato avaliado em US$ 2,82 bilhões, que também dá o direito a encomendar até 20 aviões da mesma família, através das opções de compra.

De acordo com a companhia, ela selecionou o 787-9 como uma opção à encomenda anterior do A330-800, que foi cancelada. A companhia também descartou a opção de encomendar o A330-900neo.

A Hawaiian Airlines era a única cliente do A330-800neo, até cancelar a encomenda e deixar a Airbus sem pedidos para o menor avião da família A330neo. De acordo com o site Leeham News, a Boeing ofereceu muitos descontos, com finalidade de afetar o programa do A330neo da Airbus.

Mesmo nessa situação, a Airbus continua desenvolvendo o A330-800, que está caminhando para instalar os motores Rolls-Royce Trent 7000 e realizar os testes em voo. A empresa descartou anteriormente qualquer interrupção do programa de desenvolvimento, mas pode revisar seus planos.

A Boeing afirmou que o 787-9 oferecerá um consumo até 20% menor em comparação com o A330-200 da companhia. Essas aeronaves serão utilizadas em substituição aos 767 e os A330 da Hawaiian.

As entregar começarão em 2021, e uma configuração interna será divulgada posteriormente, com o número total de assentos da aeronave. A Hawaiian escolheu os motores GE GEnx para propulsionar os 787-9.

A frota da companhia tem atualmente 54 aeronaves, são elas: 24 Airbus A330-200, 8 Boeing 767, 2 Airbus A321neo e 20 Boeing 717.