Helisul Aeromédico
Foto: Helisul/Divulgação

No segundo fim de semana de julho, Curitiba vai se tornar o maior ponto de encontro da enfermagem aeroespacial no Brasil no qual a Helisul vai participar. Nos dias 8 e 9, a cidade vai receber enfermeiros especialistas no atendimento de pacientes aeroresgatados ou aerotrasladados, além de outros profissionais que trabalham direta ou indiretamente com transporte aeromédico, para o 1º Congresso Nacional da Associação Brasileira de Enfermagem Aeroespacial (Conabraero). 

Atuante neste tipo de serviço há dez anos, a Helisul estará presente no evento como patrocinadora e parceira.

Além de oferecer uma das palestras da programação, intitulada “A utilização de aeronave não tripulada no transporte aeromédico” e ministrada pelo engenheiro aeroespacial Lucas Fontoura, head da Helisul Drones. A empresa também terá um estande no espaço do congresso para apresentar seus serviços.

O evento visa engajar os profissionais da área com as discussões mais atualizadas do campo científico para promover a melhor assistência aos pacientes e tem como tema principal “As tecnologias para o serviço aeroespacial de resgate e transporte de pacientes”. Contudo, de acordo com a presidente da Associação Brasileira de Enfermagem Aeroespacial (Abraero) e enfermeira de voo da Helisul, Michelle Taverna, a proposta abrange mais do que dispositivos e sistemas tecnológicos.

“Quando falamos em tecnologia, falamos em tecnologias leves, leve-dura e duras. As duras são os materiais, equipamentos, etc. Elas serão abordadas palestra sobre aeronaves não tripuladas, promovida pela Helisul. As leve-duras são os EPIs, cursos e treinamentos, e vão aparecer na palestra sobre tecnologias em EPIs.”

“E as leves são as legislações e os protocolos, como no caso da palestra sobre o protocolo para morte em voo. Então, envolvemos a tecnologia de uma forma muito mais ampla”, explica Michelle.

Além dessas, o congresso contará com três palestras internacionais: a do coronel Antonio Gomes, da Força Aérea Portuguesa, e de Marco Guerreiro, coordenador de transporte aeromédico em Angola, que falarão sobre as experiências na prestação deste tipo de serviços nos respectivos países; e a da professora doutora Thais Russomano, que vai falar sobre as principais discussões relacionadas ao turismo espacial.

Entrega de títulos e arrecadação de doações

Outra atração do evento será a entrega dos títulos para os profissionais que foram aprovados na primeira prova de títulos do país voltada para esta categoria.

Até recentemente, enfermeiros que atuam no transporte aeromédico estavam habilitados a trabalhar se tivessem graduação e pós-graduação na área, mas isso mudou com a Resolução nº 660/2021 do Conselho Federal de Enfermagem, que estabeleceu as regras para exercício da profissão.

Uma dessas regras é a comprovação dos conhecimentos na área por meio da realização de prova, como acontece com outras categorias, como a dos advogados, que realizam o exame da OAB. De acordo com Michelle, a prova de titulação passa a ser realizada anualmente.

Haverá ainda uma campanha de arrecadação de meias para que sejam doadas a creches, asilos e escolas da região de Curitiba.

“Começamos essa campanha e vamos fazer a arrecadação para sensibilizar as pessoas que estão vindo para cá e ajudar as pessoas daqui”, afirma Michelle.

Conforme a presidente da Abraero, meias são suficientemente pequenas para serem trazidas na mala por quem vem de outras cidades e estados, mas podem fazer uma grande diferença na vida de quem não as têm.

 

 

Via: Helisul