Nesta segunda-feira (08/03) a Honeywell apresentou o projeto de um turbo-gerador, que consome querosene de aviação, capaz de gerar uma potência de até 1 MW.

O projeto da Honeywell é tocado com a ajuda da start-up britânica Faradair Aerospace. A empresa quer utilizar este motor para equipar a aeronave Bio Electric Hybrid Aircraft, que ainda está em desenvolvimento.

Aliás, esse é um grande ponto deste motor, que permite o uso tanto em projetos de propulsão totalmente elétrica, recarregando as baterias com motores a combustão, como também nos aviões híbridos que necessitam de potência diretamente compartilhada de um motor.

A Honeywell aproveitou uma base consolidada para este sistema, utilizando a APU HGT1700, que equipa o Airbus A350XWB como o motor a combustão deste turbo-gerador de energia. Os turbo-geradores também serão capazes de queimar biocombustíveis.

Todo o conjunto promete ser super leve, e não pesar mais do que uma motocicleta scooter, ao mesmo tempo que consegue ser o único motor de uma aeronave com 19 passageiros.

O motor ainda será posteriormente colocado em uso, ainda em 2021. A Faradair pretende realizar o primeiro voo com o seu avião híbrido-elétrico até 2024, e ter até 300 aeronaves em serviço até 2030.

A Faradair selecionou a Magnix para fornecer os motores elétricos Magni500 que irão alimentar a aeronave.