Incidente de tráfego aéreo na Rússia fez quatro aviões acionarem o TCAS em poucos minutos

Neste último dia 30 de julho ocorreu um incidente nas proximidades de Yakutsk, na Rússia. Na ocasião três aeronaves estiveram envolvidas em um quase incidente, com colisão no ar, por um erro do controle de tráfego aéreo.

As aeronaves envolvidas são todas de operação russa, sendo um Antonov AN-24 de matrícula RA-47353 e da Polar Airlines, outro do mesmo modelo de matrícula RA-48096 da IrAero, e mais um turboélice de Havilland Dash 8-300 de matrícula VQ-BVI da Yakutia Airlines.

Na ocasião o controle de tráfego aéreo solicitou que as três aeronaves prosseguissem para um pouso visual em Yakutsk. No entanto, durante a aproximação o controle de tráfego aéreo solicitou para as aeronaves permanecerem na mesma altitude durante alguns minutos, o que quase causou uma colisão.

A primeira quase colisão, e avisos de TCAS entre duas aeronaves, foi entre o Dash 8 e o Antonov An-24. Na ocasião o Dash 8 se preparava para ingressar na final da pista, voando a aproximadamente 700 metros de altitude, enquanto o An-24 executava a mesma manobra de ingressar na final da pista.

Os dois aviões tiveram o TCAS acionado, e o mesmo executou manobras de evasão para evitar uma colisão entre as duas aeronaves. No entanto, o procedimento colocou o Dash 8 em rota de encontro com outra aeronave, o Antonov An-24 da IrAero que estava decolando.

Minutos depois o An-24 da IrAero teve seu TCAS ativado e fez uma manobra evasiva para evitar uma colisão com o Dash 8. A aeronave tinha decolado há poucos minutos, e cruzava os 500 metros de altitude fazendo um procedimento de saída do aeródromo.

O mesmo An-24 da IrAero teve seu TCAS novamente ativado, cerca de 11 minutos depois do primeiro alerta, para evitar a colisão com outro Dash-8, porém de matrícula VP-BNS, operado pela Yakutia Airlines.


Durante todas as manobras o controle de tráfego aéreo foi avisado da proximidade entre as aeronaves, visto que o próprio sistema do TCAS é encarregado deste procedimento, realizado de forma automática.

Os controladores de tráfego aéreo, no entanto, fizeram pouco para evitar uma colisão entre essas aeronaves envolvidas.

A Rosaviatsia abriu uma investigação para apurar as causas deste incidente, que já ganha escala em divulgação na mídia da Rússia.

 

DEIXE UMA RESPOSTA