Interjet interrompe operações nesta semana por falta de condições de pagar combustível

A companhia low cost do México, Interjet, deixou de operar pela terceira vez em apenas dois meses. A companhia alegou que não teve condições de pagar o combustível para suas aeronaves nessa semana operarem voos. 

No dia 1º de novembro, a companhia também havia anunciado a suspensão de seus voos devido a problemas financeiros impactados pela Covid-19. A interrupção mesmo que por poucos dias afetou 3.000 passageiros, mas a companhia notificou todos os passageiros.

Entretanto no dia 28 de novembro e no dia 2 de dezembro, a companhia mais uma vez deixou de operar novamente. Dessa vez a companhia não emitiu um comunicado a seus passageiros, afetando a viagem de pelo menos 4.000. A empresa não opera voos desde então.

A Agência de Proteção ao Cliente do México emitiu vários avisos contra a companhia aérea, afim de evitar mais transtornos. Nos avisos emitidos aos passageiros, há um aviso de que a empresa não está operando normalmente e poderá ocasionar problemas a quem comprar bilhetes por ela.

Mais problemas a vista

Além das precárias condições de conseguir operar, a IATA suspendeu pela segunda vez a companhia mexicana. A suspensão é dentro do plano de faturamento da Associação, mesmo a companhia tendo saído da Câmara de Compensação da IATA, segue como membro da IATA.

“É um sistema projetado para facilitar e simplificar os procedimentos de venda, relatório e remessa de agentes de vendas de passageiros credenciados pela IATA”. Disse a IATA.

Com a suspensão, a empresa não poderá ter seus bilhetes vendidos por agências de viagem associadas. 


A companhia deve mais de 3 meses de salários a seus funcionários e muitos deles já deixaram de trabalhar para a Interjet. Como tentativa de salvar a empresa, o Sindicato da companhia aérea fez um pedido ao governo para torna-la uma empresta estatal, o pedido foi negado pelo governo mexicano.

Os passageiros com passagens compradas não tem o reembolso feito pela empresa e nem a realocação em outros voos de outras empresas. Não há previsão de retomada dos voos e se eles realmente voltarão a ser operados.

A Diretora Fiscal, Raquel Buenrostro, disse que a Interjet está falida e sem condições de operar nenhum voo regular.

“A Interjet não tem fluxo de caixa; não tem recursos para pagar o combustível. A empresa está falida desde o ano passado. Não é um tópico relacionado à pandemia; está falido devido a más administrações que datam de vários anos. A Interjet deve impostos desde 2013, por isso é uma empresa que vem sofrendo sete anos consecutivos.”

Em julho, houve um anuncio de aporte financeiro na empresa no valor de US$ 150 milhões. Porém mesmo em dezembro, não houve nenhum deposito para a Interjet e muito provavelmente a companhia não receberá o dinheiro. O que irá decretar de forma oficial a falência da empresa. 

DEIXE UMA RESPOSTA