Lockheed Martin F-22 Raptor / Foto: André Magalhães-Aeroflap

O Japão poderá ser aliado dos EUA na produção de um novo caça, caça esse que seria uma “versão modernizada do F-22 Raptor”. Na verdade ainda se trata de uma proposta entre a empresa norte-americana e empresas japonesas ligadas ao setor de defesa.

De acordo com a proposta, o Japão teria 50% de participação na produção que envolve também o desenvolvimento da aeronave.

Este é um fato curioso que está ligado à regra do F-22 ter sua comercialização proibida, isso devido as tecnologias desenvolvidas para o caça, que os EUA não querem compartilhar com ninguém. O Raptor ainda está no topo da aviação de caça mundial mesmo tendo feito o primeiro voo em 1997 e entrado pra USAF em 2005, o famoso caça ainda é de grande valia para os EUA.

O Japão seria a única nação que teria a chance de poder trabalhar com um projeto ligado ao F-22. Segundo a Lockheed Martin, fabricante do F-22, acredita que a possibilidade de vazamento das tecnologias é pequena e ter um caça do status do F-22 operando pela Força Aérea do Japão na Ásia seria uma jogada estratégica.

A empresa japonesa responsável pelo projeto seria a Mitsubishi Heavy Industries que poderá produzir e fabricar o novo motor do caça e outras peças, totalizando os 50% de participação. O valor total estimado para essa produção/proposta gira em torno de 6 trilhões de ienes (US$ 54 bilhões).

Sendo um caça de muita importância para os EUA é um pouco contraditório outro país ter 50% de participação na modernização do caça. Talvez o que possa acontecer nesse caso seja similar ao que aconteceu com o F-2 (caça japonês), que foi desenvolvido a partir do F-16 Fight Falcon, porem com algumas diferenças como as asas do caça que são maiores do que as do F-16 que conhecemos.