JetBlue
Foto: JetBlue/Reprodução

A novela enfim parece estar chegando em seus últimos momentos, a JetBlue e a Spirit deverão se fundir e criar a 5ª maior companhia aérea dos EUA.

Após uma reunião na noite de ontem com a Frontier, os acionistas da Spirit saíram já com abertura para fechar negócio com a JetBlue. O conselho de administração das duas empresas aprovaram o acordo de fusão e também os valores do negócio.

A JetBlue comprará a Spirit por US$ 33,50 em dinheiro por cada ação da Spirit, incluindo um pré-pagamento de US$ 2,50 por ação imediatamente após a aprovação do negócio por parte dos acionistas da Spirit. O valor total da compra será de US$ 3,8 bilhões.

Spirit
Foto: Spirit Airlines

O CEO da JetBlue Robin Hayes, comemorou a aquisição da companhia aérea:

“Estamos empolgados em oferecer essa combinação atraente que turbina nosso crescimento estratégico, permitindo que a JetBlue traga nossa combinação única de tarifas baixas e serviço excepcional para mais clientes, em mais rotas.”

“Estamos ansiosos para receber os excelentes membros da equipe da Spirit na JetBlue e, juntos, criar uma quinta maior transportadora centrada no cliente, nos Estados Unidos. A Spirit e a JetBlue continuarão avançando em nosso objetivo compartilhado de revolucionar o setor para reduzir as tarifas das quatro grandes companhias aéreas. Essa combinação é uma excelente oportunidade para diversificar e expandir nossa rede, adicionar empregos e novas possibilidades para tripulantes e expandir nossa plataforma para um crescimento lucrativo.”

A fusão das empresas criará a 5ª maior companhia aérea dos EUA, aumentando seu valor para US$ 7,6 bilhões. A dívida ajustada com a fusão das empresas será de US$ 3,8 bilhões e arrendamentos operacionais de US4 2 bilhões. 

A nova companhia aérea resultante da fusão terá uma frota de 458 aeronaves, se tornando a 8ª maior frota do mundo. Com a fusão, a JetBlue e a Spirit fortalecerão sua posição no mercado para poder fazer frente as maiores empresas como a Delta, American, United e Southwest.

Apesar do acordo firmado, ainda serão necessárias aprovações dos acionistas de ambas as empresas além dos órgãos reguladores. Além disso serão negociadas as garantias da fusão, todo o processo deverá ser concluído em até dois anos. 

“Ao permitir que a JetBlue cresça mais rapidamente, podemos enfrentar os legados em mais lugares para reduzir as tarifas e melhorar o serviço para todos. Mesmo combinado com a Spirit, a empresa ainda será significativamente menor que o Big Four, mas estaremos muito melhor posicionados para levar o comprovado efeito JetBlue para muito mais rotas e locais”, disse o CEO da JetBlue.

 

 

Com informações da Simple Flying